O uso do QR Code para a captação de recursos nas paróquias

Padre Wagner Aparecido Scarponi*

O uso do QR Code para a captação de recursos nas paróquias, Jornal O São Paulo
Arte: CNBB

“A 'galáxia digital' e a 'inteligência artificial' estão no centro da mudança de época que estamos vivendo. A inovação digital diz respeito a todos os aspectos da vida, seja pessoal seja social" (Papa Francisco, Mensagem aos participantes do Plenário da Pontifícia Academia para a Vida. 28 de fevereiro de 2020).

Desde o advento desta "era digital" que vivemos, sempre vivemos conflitos dentro de nossas paróquias sobre o uso de tais tecnologias, sobretudo na arrecadação de dinheiro (através do dízimo, doações e ofertas) tendo de um lado os que não aceitavam e do outro os que aceitavam e utilizavam.

Com a Pandemia de COVID-19, a Igreja avançou para "águas mais profundas" no campo da tecnologia para a captação de recursos. Já que nossas paróquias fecharam, mas os boletos e contas continuaram a chegar.

Como foi salutar, neste sentido, a Pandemia para a Igreja. Pois, nós fez "entrar de cabeça" nessa revolução, com o uso das mídias e no caso da captação de recursos, das tecnologias para isso.

Dentro destas destaca-se o "QRcode" gerado pelas nossas Paróquias para receber doações, ofertas e dízimos. Isso veio para ficar!!  Atualmente não já nada mais seguro e transparente na captação de recursos, como também na prestação de contas que o dinheiro arrecadado entre diretamente na conta da Paróquia.

Seguro porque o padre deixa de ficar com o dinheiro em espécie na Igreja até este ser depositado na conta bancária.

Transparente, pois, na prestação de contas quanto mais o dinheiro vai diretamente para a conta mais se evita as suspeitas de desvio, de criação de "caixa dois" entre tantas outras.

E neste quesito a geração dos "QRcodes" que ao serem acessados nos levam diretamente à conta da Paróquia, seja em casa, seja em nossas missas, nos dando essa segurança e praticidade da transferência bancária acontecer e o dinheiro ir direto para a conta.

Vale lembrar também que as pessoas cada vez mais usam o dinheiro, não em espécie, mas pagam suas contas, e fazem suas doações via aplicativos dos bancos "baixados" em seus aparelhos celulares.

As pessoas querem doar. Mas o dinheiro não está mais no bolso. Está no celular! Por isso, crie em sua Paróquia um "QRcode" para captar o dinheiro e deixe visível na Igreja. Assim o paroquiano ou aquele que visita a sua Paróquia possa fazer a sua contribuição.

Padre Wagner Aparecido Scarponi, CEAM Paróquia São José Operário – Vila Nova Galvão, Assessor da Pastoral do Dízimo Região Episcopal Santana

Deixe um comentário