‘Pobres em espírito’

O Sermão da Montanha (Mt 5-7) encerra o núcleo da mensagem moral e espiritual do Evangelho. O seu coração são as Bem-Aventuranças (Mt 5,3-12), sentenças que retratam o Coração de Jesus e revelam o que é uma vida realmente feliz, segundo os critérios de Deus. Quem vive as bem-aventuranças já encontrou o Reino de Deus!  A primeira delas resume todas as demais: “felizes os pobres em espírito, pois deles é o reino dos Céus” (Mt 5,3). A pobreza em espírito … Leia mais

‘Convertei-vos, porque o reino dos céus está próximo’

Segundo São Mateus, Jesus começou a sua pregação com estas palavras. Delas se pode deduzir que somos pecadores necessitados de uma profunda mudança interior e exterior.  A mudança exterior consiste em adequarmos o modo de agir e de falar aos Mandamentos de Deus. A comunhão com o Senhor somente é possível mediante uma contínua retificação do caminho: “Deixai o mal e aprendei a fazer o bem” (Is 1,16). Não à toa, no Antigo Testamento, a palavra comumente utilizada para designar … Leia mais

“Eis o Cordeiro de Deus!”

Multidões iam a João em busca do batismo. Alguns pensavam que ele fosse o Messias. A atração sobre as massas e a fama de santidade não o fizeram se inchar de orgulho. No auge de seu sucesso, João soube direcionar as atenções a Jesus: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (Jo 1,29); “eu vi e dou testemunho: este é o Filho de Deus!” (Jo 1,34).   Afirmando que Cristo é “o Cordeiro de Deus que tira … Leia mais

‘Vamos até Belém!’

Depois de terem ouvido o anúncio do Anjo acerca do nascimento do Menino Jesus, os pastores disseram entre si: “vamos até Belém para vermos este acontecimento que o Senhor nos deu a conhecer” (Lc 2,15). Este propósito resume o espírito com que viveremos os próximos dias. Celebrar o Natal consiste em “ir até Belém”! Fazemos isso, antes de tudo, na liturgia. Ela, por assim dizer, “transporta-nos” até a Judeia de 2000 anos atrás e nos une ao mistério da Encarnação … Leia mais

‘A virgem conceberá e dará à luz um filho’

Jesus nos convida a estarmos atentos para reconhecer os sinais, pequenos e grandes, que Deus concede continuamente para orientar nossas vidas (cf. Mt 16,3). Ele repreendeu os fariseus e saduceus pois, sem reconhecerem a presença do Senhor que lhes estava bem diante dos olhos, condicionavam a sua fé em Jesus à verificação de milagres extraordinários (Mt 26,4). Nosso Senhor lhes prometeu que o único sinal a ser dado seria “o de Jonas”, isto é, a sua Paixão, Morte e Ressurreição. … Leia mais

‘Alegre-se a terra que era deserta’

Multidões vão a Jerusalém todos os anos. A geografia local é árida; o deserto é inóspito; a fauna e a flora são pobres; a água é escassa e cara. Mesmo assim, peregrinos se alegram por estar lá, apesar das contrariedades. Cada um que lá esteve pode dizer com o salmo: “se de ti, Jerusalém, eu me esquecer, ai de mim!” (Sl 137,5). Para além da aridez, é possível enxergar naquela Cidade o lugar por onde passou e onde morreu e … Leia mais

‘Preparai os caminhos do Senhor’

Ao realizar milagres, Jesus às vezes requeria um gesto de colaboração: a doação de uns pães (cf. Jo 6,9); o ato de estender a mão (cf. Lc 6,8.10); o pedido do que se necessita (cf. Mc 10,51). Deus é onipotente e pode realizar prodígios sem ajuda alguma, mas não prescinde de nossa cooperação. Isso se dá não apenas em relação às graças extraordinárias. A ordem estabelecida por Deus na criação mostra que a colaboração humana – ainda que mínima – … Leia mais
advento

‘Deixemo-nos guiar pela luz do Senhor’ (Is 2,5)

O Natal é precedido pela preparação espiritual do Advento. Neste tempo, rezamos mais, fazemos um pouco mais de penitência, e somos chamados a nos alegrar mais do que de costume. Afinal, o Deus-Conosco se aproxima! É preciso que Ele nos encontre alegres – apesar dos pesares! – e com um coração vigilante e repleto da graça divina.  Para que isso aconteça, é útil que, ao longo deste período, meditemos mais assiduamente sobre o mistério da Encarnação. É um fato extraordinário: … Leia mais

Cristo é Rei

Não é apenas título piedoso, nem metáfora, e tampouco a tentativa de igualar Jesus aos poderosos do mundo. Cristo é Rei, o soberano por excelência.  É o Legislador, pois “tudo foi criado por meio Dele e para Ele. Ele existe antes de todas as coisas e todas têm Nele a sua consistência” (Cl 1,16). As leis da natureza e a constituição íntima do que existe foram feitas por Ele. Ainda que permaneça em silêncio, seja desprezado e blasfemado, a sua … Leia mais

Permanecendo firmes, ganhareis a vida!

Jesus menciona tribulações que acompanham a história e se intensificarão antes da sua segunda vinda: guerras, revoluções, terremotos, fomes, pestes, perseguições à Igreja, ódio crescente e sinais cósmicos (Lc 21,10ss). São Paulo acrescenta que, no fim dos tempos, haverá ainda uma grande apostasia e muitos abandonarão a fé (cf. 2Ts 2,3). Os homens serão seduzidos pela ação do “Iníquo”, que “virá com o poder de satanás e toda espécie de sinais e prodígios enganadores”. Pensarão até em ter algum tipo … Leia mais