A Igreja em luto: morre aos 95 anos o Papa emérito Bento XVI

Desde fevereiro de 2013, quando renunciou ao pontificado, Joseph Ratzinger vivia em um mosteiro nos Jardins do Vaticano

A Igreja em luto: morre aos 95 anos o Papa emérito Bento XVI, Jornal O São Paulo

A Santa Sé comunicou, com profundo pesar, neste sábado, 31 de dezembro, o falecimento do Papa emérito Bento XVI, aos 95 anos de idade, no Mosteiro Mater Ecclesiae, onde ele vivia desde a renúncia ao pontificado, em fevereiro de 2013.

“Com pesar informo que o Papa Emérito Bento XVI faleceu hoje às 9,34, no Mosteiro Mater Ecclesiae, no Vaticano. Assim que possível, serão enviadas novas informações”, consta no comunicado do diretor da Sala de Imprensa da Sala de Imprensa da Santa Sé.

Desde 28 de dezembro, cresceu a preocupação sobre o estado de saúde de Bento XVI após o Papa Francisco ter pedido aos fiéis, ao final da audiência geral, que fizessem “uma oração especial pelo Papa emérito Bento XVI, que no silêncio está sustentando a Igreja”. E prosseguiu: “Recordemos que ele está muito doente, pedindo ao Senhor que o console e o sustente neste testemunho de amor à Igreja até o fim”.

Joseph Ratzinger, que foi eleito papa em 19 de abril de 2005, sucedeu a São João Paulo II. Ainda não há detalhes sobre os funerais de Bento XVI.

Uma vida de testemunho da fé cristã

– Joseph Ratzinger nasceu em Marktl am Inn, na Alemanha, na área de abrangência da Diocese de Passau, em 16 de abril de 1927. Era Sábado Santo e ele foi batizado no mesmo dia.

– O pai de Joseph era comissário de polícia, homem de vida simples, provindo de uma antiga família de agricultores da Baviera, estado da região sudeste da Alemanha. Sua mãe era filha de artesãos de Rimsting, no lago de Chiem, e antes de se casar, trabalhou como cozinheira em hotéis.

– Joseph passou a infância e a adolescência em Traunstein, uma pequena localidade perto da fronteira com a Áustria. Foi neste ambiente, por ele próprio definido como “mozarteano” (porque alí nasceu Mozart, o famoso compositor clássico), que ele teve sua formação cristã, humana e cultural.

– Durante a juventude, Joseph vivenciou o clima hostil do regime nazista contra a Igreja Católica. Ele testemunhou nazistas açoitarem um padre antes da celebração de uma missa.

– Nos últimos meses da 2ª Guerra Mundial (1939-1945), Joseph foi arrolado nos serviços auxiliares antiaéreos.

– Joseph Ratzinger foi ordenado sacerdote em 29 de junho de 1951. Um ano depois, começou sua atividade como professor na Escola Superior de Freising, na Alemanha.

– Em 1953, doutorou-se em Teologia com a tese “Povo e Casa de Deus na doutrina da Igreja de Santo Agostinho”.

– De 1962 a 1965, participou do Concílio Vaticano II como perito; sendo conduzido ao Concílio como consultor teológico do Cardeal Joseph Frings, então Arcebispo de Colônia, na Alemanha.

– Em 25 de março de 1977, São Paulo VI nomeou o Padre Joseph Ratzinger como Arcebispo de Munique e Freising. Em 28 de maio seguinte, recebeu a ordenação episcopal, tendo como lema: “Colaborador da verdade”. Essa escolha decorre do fato dele sempre afirmar a importância da verdade e de tê-la como fundamento, dizendo: “tudo se desmorona se falta a verdade”.

– No consistório de 27 de junho de 1977, Dom Joseph Ratzinger foi feito cardeal por São Paulo VI.

– O Cardeal Ratzinger participou no conclave, celebrado de 25 a 26 de agosto de 1978, que elegeu Albino Luciani como Papa, João Paulo I. Naquele mesmo ano, em setembro, o novo Pontífice o enviou como seu enviado especial ao 3º Congresso Mariológico Internacional, em Guayaquil, no Equador.

– Em outubro de 1978, o Cardeal Ratzinger participou do conclave que elegeu o polonês Karol Józef Wojtyla como Papa, João Paulo II.

– Em 25 de novembro de 1981, São João Paulo II nomeou o Cardeal Ratzinger como Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé e Presidente da Pontifícia Comissão Bíblica e da Comissão Teológica Internacional.

– O Cardeal Joseph Ratzinger foi presidente da comissão encarregada da preparação do Catecismo da Igreja Católica, a qual, após seis anos de trabalho (1986-1992), apresentou ao Santo Padre o novo catecismo.

– Em 19 de abril de 2005, aos 78 anos, o Cardeal Ratzinger foi eleito Papa, Bento XVI

– Bento XVI esteve à frente da Igreja por 7 anos, 10 meses e 9 dias, tendo oficialmente renunciado ao papado em 28 de fevereiro de 2013, confirmando o anúncio que fizera anteriormente, em 11 de fevereiro daquele ano.

– Em seu pontificado realizou 24 viagens apostólicas internacionais (incluindo a vinda ao Brasil em maio de 2007), presidiu cinco consistórios nos quais criou 90 cardeais, publicou três encíclicas – “Deus Caritas Est” (2005); “Spe Salvi” (2007) e “Caritas in Veritate” (2009); e redigiu quatro exortações apostólicas pós-sinodais – Sacramentum Caritatis (2007) – sobre a Eucaristia fonte e ápice da vida e da missão da Igreja; Verbum Domini (2010) – sobre a Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja; Africae múnus (2011) – sobre a Igreja na África ao serviço da reconciliação, da justiça e da paz; e Ecclesia in Medio Oriente (2012) – sobre a Igreja no Oriente Médio, comunhão e testemunho.

– Após renúncia, Bento XVI passou a viver no Mosteiro Mater Ecclesiae, nos Jardins do Vaticano, fazendo raras aparições públicas ou pronunciamentos. Ele manifestou obediência e proximidade pastoral a seu sucessor, o Papa Francisco.

3 comentários em “A Igreja em luto: morre aos 95 anos o Papa emérito Bento XVI”

  1. Eu louvo e agradeço a Deus por nos ter enviado esse homem de de Deus, que nos ajudou na caminhada Cristã. Descanso eterno dai-lhe Senhor, a Luz perpétua o ilumine

    Responder

Deixe um comentário