Associação de hospitais privados afirma que falta de ‘kit intubação’ está menos crítica

Redução no número de internações é apontada como a principal causa

Foto: Governo do Estado de São Paulo/Arquivo

Um novo levantamento realizado pela Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), na terça-feira, 20, indicou uma pequena melhora em relação à falta de medicamentos para tratamento de pacientes com a COVID-19.

O chamado ‘kit intubação’, composto por anestésicos, sedativos e relaxantes musculares ainda é o item mais crítico. Dos 65 hospitais que responderam à pesquisa, 18,5% seguem com estoque no alerta vermelho (com duração de até cinco dias), ante uma amostra de 31% na semana passada.

De acordo com o diretor-executivo da associação, Antônio Britto, o cenário menos crítico é decorrente da redução do número de pacientes que estão internados, no comparativo com a semana anterior.

A taxa de ocupação de leitos de UTI, destinados à pacientes com COVID-19, na terça-feira, 20, estava em 81,75% nos hospitais associados. Os números apontam uma leve melhora em relação ao cenário da semana anterior (85,14%).

Instituições pesquisadas

Foto: divulgação

No total, 12 Instituições localizadas nas cidades de São Paulo (SP), Atibaia (SP), Porto Alegre (RS), Cruz Alta (RS), Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), Ipatinga (MG), Uberlândia (MG), Juiz de Fora (MG), João Pessoa (PB) e Cuiabá (MT) que relatam estar em situação crítica em relação ao desabastecimento do “kit intubação”.

Nesses hospitais, o estoque é suficiente para cinco dias ou menos. No levantamento da semana passada, eram 22 hospitais em situação crítica relacionada a esse estoque.

Já sobre a falta de anestésicos, os números também sofreram uma leve melhora. A pesquisa atual mostrou que 9 hospitais ainda estão em fase crítica, com estoque inferior ou igual a 5 dias, contra 20 instituições na semana passada. Eles estão localizados nas cidades de São Paulo (SP), Atibaia (SP), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), Ipatinga (MG), Uberlândia (MG), João Pessoa (PB) e Cuiabá (MT).

A falta de ventiladores em quantidade adequada segue sendo um problema para cinco hospitais membros, ante as 10 instituições na semana passada. Os hospitais que se encontram em pior situação estão localizados nas cidades de São Paulo (SP), Belém (PA), Curitiba (PR), Cuiabá (MT) e Salvador (BA).

Anahp diz que tem realizado levantamentos constantes entre os seus afiliados, visando identificar aqueles que apresentam cenários mais graves em relação à falta de insumos.

Fonte: Anahp

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter