Breve e intensa passagem na Arquidiocese de Fortaleza

Nomeado por São João Paulo II como Arcebispo de Fortaleza (CE) em maio de 1996, Dom Cláudio Hummes, até então Bispo de Santo André (SP), assumiu aquela Arquidiocese em julho do mesmo ano, e ali permaneceu por 21 meses, até abril de 1998, quando foi nomeado Arcebispo de São Paulo. 

Breve e intensa passagem na Arquidiocese de Fortaleza
Luciney Martins/O SÃO PAULO

Dom Cláudio foi o quinto Arcebispo de Fortaleza e, apesar do curto período à frente daquela igreja particular, impulsionou iniciativas ainda hoje lembradas com carinho pelos fiéis de todo o estado do Ceará. 

No período de Dom Cláudio, foram criadas duas paróquias na Região Metropolitana de Fortaleza: a de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no conjunto Jereissati/Timbó, no município de Maracanaú (CE), em 11 de abril de 1997; e a Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição, em Tabatinga, na cidade de Maranguape (CE), em 13 de abril de 1998, dois dias antes de ser nomeado Arcebispo de São Paulo. 

Iniciativas pastorais

À frente daquela Arquidiocese, Dom Cláudio estimulou um intenso trabalho com as famílias, especialmente as mais pobres e endividadas, no contexto da preparação do 2º Encontro das Famílias com São João Paulo II e do Congresso Teológico Pastoral sobre a Família, em outubro de 1997, uma vez que era responsável pelo Setor Famílias da CNBB e um dos articuladores do encontro com o Papa. 

Dom Cláudio também convocou a assembleia arquidiocesana em 1996, seguindo o cronograma que já estava previsto, reunindo coordenadores dos novos movimentos para participar da Assembleia e com o tema do Projeto Rumo ao Novo Milênio. Ele investiu bastante em encontro e subsídios para a realização desse projeto trienal e do ano jubilar.

Em 1998, Dom Cláudio também aprovou o reconhecimento canônico em âmbito diocesano dos estatutos da Comunidade Shalom.

Rede Vida de Televisão

Outra iniciativa de Dom Cláudio ainda hoje lembrada pelos fiéis da Arquidiocese de Fortaleza foi a realização de um abraço na Catedral Metropolitana, em 24 de agosto de 1997, para divulgar uma campanha de arrecadação de recursos a fim de construir a torre repetidora do sinal da Rede Vida de Televisão na cidade. 

O fato foi notícia nacional, assim relatado pelo jornal Folha de S.Paulo: “Um grupo de cerca de 10 mil pessoas, segundo a PM, participou às 16h de ontem [24 de agosto de 1997] de uma manifestação de ‘abraço simbólico’ à Catedral Metropolitana de Fortaleza. A manifestação faz parte de uma campanha da igreja para arrecadar R$ 300 mil necessários para a compra dos retransmissores da Rede Vida, emissora de TV ligada aos católicos, no Estado. O Arcebispo de Fortaleza, Dom Cláudio Hummes, disse que o ‘abraço’ foi um marco no processo de evangelização dos católicos cearenses”. 

O fato foi recordado com carinho por Dom Cláudio em entrevista que concedeu ao jornal O SÃO PAULO, dias após ter sido nomeado Arcebispo de São Paulo.  

“Em Fortaleza, atuei somente durante dois anos, que seriam completados no dia 21 de julho. Não cheguei a conhecer profundamente a Arquidiocese, que também é grande e complexa. Fiquei feliz em trazer para cá a Rede Vida de Televisão. Percebo também uma atuação cada vez mais entrosada dos leigos. Há unidade na diversidade da Igreja. Há muitos problemas também com a pobreza”, afirmou.

Eterno carinho pelo povo cearense 

Em fevereiro de 2009, já como cardeal, Dom Cláudio Hummes retornou a Fortaleza, onde presidiu missa, na Catedral Metropolitana, na comemoração de seus 50 anos de sacerdócio.

“Para mim, é um momento de grande emoção e de agradecer a Deus. Já celebrei os 50 anos em outros lugares, mas não podia deixar de vir a Fortaleza. O Ceará está no meu coração, como se fosse a mesma época em que estava na Arquidiocese daqui. Venho agradecer e celebrar esse momento que é de muita graça”.

(Com informações da Arquidiocese de Fortaleza, Folha de S.Paulo, O SÃO PAULO E Comunidade Shalom)

Deixe um comentário