Caminhoneiros bloqueiam estradas em 11 estados e no DF

Após o anúncio da vitória de Luiz Inácio Lula da Silva para a Presidência da República em segundo turno, na noite desse domingo (30), grupos de caminhoneiros protestam com bloqueios em rodovias. No Rio de Janeiro, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informa que as ocorrências começaram por volta de 00h30 e ainda permanecem nesta manhã.Caminhoneiros bloqueiam estradas em 11 estados e no DF, Jornal O São PauloCaminhoneiros bloqueiam estradas em 11 estados e no DF, Jornal O São Paulo

A BR-116 segue com bloqueios na região de Barra Mansa, no sul fluminense. Segundo a concessionária CCR RioSP, que administra o trecho da rodovia, o tráfego está interrompido entre os quilômetros 281 e 298 na pista sentido Rio, “devido a manifestação de caminhoneiros”, assim como entre os quilômetros 272 e 281 no sentido São Paulo.

A PRF informa que, no norte fluminense, houve interdição no início da manhã no quilômetro 64 da BR-101, em Campos dos Goytacazes, com queima de pneus. O protesto começou por volta das 5h e às 6h30 a via já havia sido liberada pelos agentes.

Por voltas das 7h, porém, mais manifestantes se dirigiram à região e, segundo a PRF, foram registrados atos de vandalismo.

De acordo com vídeos publicados nas redes sociais, o protesto é contra o resultado da eleição e, em alguns locais, há pedido de intervenção militar.

Após a derrota do presidente Jair Bolsonaro (PL) nas urnas, caminhoneiros bolsonaristas fecharam trechos de rodovias em pelo menos onze estados e no Distrito Federal para contestar o resultado das eleições. Segundo um balanço divulgado pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) nesta manhã, há 70 bloqueios registrados em:

Rio Grande no Sul;
Santa Catarina;
Paraná;
Minas Gerais;
São Paulo;
Rio de Janeiro;
Mato Grosso;
Mato Grosso do Sul;
Rondônia;
Pará;
Goiás;
Distrito Federal.

Vídeos compartilhados nas redes sociais e informações oficiais das concessionárias das estradas apontam a ação dos manifestantes logo após a vitória do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Fonte: Agência Brasil e UOL

Deixe um comentário