Conferência Eclesial da Amazônia elege novo presidente

Cardeal Pedro Barreto sucede Dom Cláudio Hummes, que apresentou renúncia do cargo no sábado, 26

Por vídeo-conferência, Cardeal Hummes participa de assembleia da Ceama
(Foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

A Conferência Eclesial da Amazônia (Ceama) realizou sua assembleia ordinária nos dias 26 e 27, em São Paulo. No início do evento, que também contou com a participação de membros na modalidade on-line, o Cardeal Cláudio Hummes, Arcebispo Emérito de São Paulo, apresentou sua renúncia do cargo de Presidente do organismo criado em junho de 2020, com a missão de promover a ação pastoral e evangelizadora da Igreja na região amazônica.

Dom Cláudio explicou que sua decisão foi motivada pela “impossibilidade de mobilizar-me para participar in persona de reuniões de instituições eclesiásticas, como conferências episcopais e outras reuniões de instituições civis”. O Cardeal de 87 anos passa por tratamento de saúde em sua residência, na capital paulista e, por isso, participou da assembleia remotamente.  

Diante da renúncia de Dom Cláudio, os demais membros do Comitê Executivo da Ceama também colocaram seus cargos à disposição e, no domingo, 27, houve a eleição dos novos dirigentes da entidade.

O Cardeal Pedro Barreto, Arcebispo de Huancayo (Peru) e atual Presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), foi eleito Presidente. Dom Leonardo Steiner, Arcebispo de Manaus, foi eleito como 1º Vice-Presidente, e o leigo equatoriano Mauricio López, coordenador do Centro de Redes e Ação Pastoral do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) como 2º Vice-Presidente. Dom Eugenio Coter, Bispo de Pando (Bolívia), foi ratificado como representante dos bispos das dioceses amazônicas na presidência do organismo.

Fruto do sínodo

A Ceama é fruto da Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a Amazônia, realizada em 2019, no Vaticano. Na ocasião, foi proposta a criação de um organismo “permanente e representativo para promover a sinodalidade na região amazônica”, que tem uma extensão de 7,8 milhões de km2, incluindo áreas do Brasil, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

A missão da Ceama também se pauta nos quatro “sonhos” – social, cultural, ecológico e eclesial –, expressos pelo Papa Francisco, na exortação apostólica pós-sinodal Querida Amazonia (2020).

Cardeal Barreto, eleito presidente da Ceama (Foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

Continuar o caminho

Em seu último discurso como Presidente da Ceama – lido por Dom Neri José Tondello, Bispo da Diocese de Juína (MT) ­–, Dom Cláudio reforçou seu convite ao organismo para ser “um espaço onde o Espírito Santo nos permita ter a parresia e a abertura para continuar a encontrar os novos caminhos necessários para que a nossa Ceama possa responder com força à realidade que hoje nos desafia”.

O Arcebispo Emérito de São Paulo enfatizou que a confirmação canônica de criação da Ceama, assinada pelo Papa em dezembro de 2021, “é um fato que nos encoraja a melhorar, a crescer e a partilhar esta peregrinação que a nossa amada Amazônia exige, anseia e necessita”.

O Cardeal enfatizou a necessidade da atualização dos estatutos da entidade, para corresponder com maior eficácia aos desafios da evangelização na Amazônia. “Esses desafios implicam um tempo e um esforço que, dadas as minhas atuais condições de saúde, não estou em condições de enfrentar, de modo a assegurar que o que vemos claramente no horizonte possa ser realizado com toda a força necessária”, manifestou Dom Cláudio.

Por fim, recordando do momento de oração pelo fim da pandemia conduzido pelo Papa Francisco, há exatos dois anos, na Praça São Pedro vazia, o Cardeal Hummes afirmou: “No meio das águas agitadas, continuamos a construir os nossos sonhos amazônicos com a confiança de que é o Senhor da vida que nos conduz, nos chama à calma e nos convida a confiar num futuro em que nos encontramos numa verdadeira fraternidade universal, como sonhava o Santo de Assis”.

Uma década a serviço da Igreja na Amazônia

Dom Cláudio deixa o cargo de Presidente da Ceama, após mais de 10 anos se dedicando pessoalmente à Igreja na Amazônia

Em 2011, após se tornar Prefeito Emérito da Congregação para o Clero, no Vaticano, e retornar a São Paulo, o Cardeal Cláudio Hummes foi convidado a presidir a Comissão Episcopal para a Amazônia, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Na ocasião, ele revelou ao O SÃO PAULO que ser missionário na Amazônia era um sonho cultivado em sua juventude como frade franciscano, mas Deus e a Igreja o chamaram para outras missões.

Foi a partir do trabalho em nome da CNBB que o Arcebispo Emérito conheceu de perto a realidade amazônica. Em 2014, ajudou a criar a Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), da qual foi o primeiro Presidente. Em seguida, foi Relator-geral do Sínodo para a Amazônia e, de julho de 2020 a março de 2022, presidiu a Conferência Eclesial da Amazônia (Ceama).

Papa Francisco e Dom Cláudio, durante Sínodo para a Amazônia, em 2019 (Foto: Julio Caldeira/IMC)

Gratidão

A assembleia da Ceama também foi marcada pelas manifestações de gratidão a Dom Cláudio pelo trabalho realizado na entidade, assim como sua dedicação pessoal à Igreja na Amazônia na última década.

O Presidente eleito, Cardeal Pedro Barreto, sublinhou o papel do Purpurado brasileiro para a consolidação da Repam e da Ceama. “A força do Espírito Santo nos encoraja a continuar neste caminho, com uma estratégia de encarnação no território amazônico na complementaridade entre a Ceama e a Repam nesta tarefa.”

O Presidente do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam), Dom Miguel Cabrejos, também presente na assembleia, afirmou que Dom Cláudio é e continuará sendo profético para a Igreja com seu testemunho de “riqueza humana e espiritual”. “Por isso, pedimos a ele que continue nos apoiando com sua experiência e entusiasmo”.

A Presidente da Confederação Latino-Americana de Religiosos (Clar), Irmã Liliana Franco, definiu o Cardeal Hummes como pastor, irmão e a “memória” viva que recorda a todos o que é fundamental na missão da Igreja na Amazônia.

Dom Leonardo Steiner, eleito 1º Vice-Presidente da Ceama, destacou o papel de Dom Cláudio ao apresentar a realidade amazônica para o episcopado brasileiro. “Ele ajudou nossos bispos a perceberem a importância da Amazônia para a Igreja, sua ação missionária e, sobretudo, a necessidade do cuidado dos povos indígenas”, acentuou o Arcebispo de Manaus (AM), informando que o Cardeal Hummes também renunciou à presidência da Comissão Episcopal para a Amazônia, cargo que exercia já no terceiro mandato.

Deixe um comentário