Curso capacita pessoas surdas para o mercado de trabalho

A iniciativa do Instituto Nacional de Educação de Surdos também orienta as empresas sobre como receber os profissionais surdos

Governo Federal

Inserir as pessoas surdas no mercado de trabalho requer não só a capacitação e orientação sobre o universo do trabalho, direitos e cidadania, mas também a sensibilização das empresas. Essa orientação conjunta é realizada pelo Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines), vinculado ao Ministério da Educação.

O Instituto oferece atendimento individualizado com o objetivo de preparar pessoas surdas para o mercado de trabalho e, em seguida, direcioná-las para vagas de emprego. O trabalho é feito pela Divisão de Qualificação e Encaminhamento Profissional.

Antes de ser encaminhado para uma entrevista, o surdo passa por um curso de uma semana, chamado Orientações para o Mercado de Trabalho, em que se fala de documentos, ética, direitos de cidadania e de dicas para preparar o currículo.

“O direcionamento começa com uma parceria firmada com a empresa onde explicamos a importância da língua de sinais, de ter a possibilidade de intérpretes. Falamos também da nossa disponibilidade para dar palestras, rodas de conversa para tirar dúvidas da empresa, dos gestores, com relação a essa pessoa que vai estar lá sendo inserida na empresa”, explicou Marcelo Kropf que é da Coordenação de Avaliação e Atendimento ao Educando do Ines.

Segundo ele, a falta de informação em libras é uma das principais barreiras, pois dificulta a inserção de surdos no ambiente de trabalho.

Kropf ressaltou que a inserção se dá quando todas as barreiras são vistas e recebem os devidos cuidados. “Dar oportunidade no mercado de trabalho é muito além do que dar um emprego para a pessoa, é dar todo esse suporte, toda essa mudança de pensamento, de atitude para a pessoa surda que é inserida na vaga”, afirmou Marcelo Kropf.

Como ter acesso à qualificação

Toda a comunidade surda pode ter acesso gratuitamente aos serviços de qualificação profissional do Ines. O interessado deve entrar em contato pelo e-mail diepro@ines.gov.br ou pela página do Facebook (https://www.facebook.com/diepro.ines).

 As orientações são fornecidas de acordo com as especificidades da pessoa.

As empresas interessadas na divulgação de vagas de trabalho podem entrar em contato pelo e-mail diepro@ines.gov.br.

Educação bilíngue

No último mês de agosto, o Presidente Jair Bolsonaro sancionou a Lei nº 14.191 que dispõe sobre a modalidade de educação bilíngue de surdos. Ela altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) adicionando que deve ser respeitada a diversidade humana, linguística, cultural e identitária das pessoas surdas, surdocegas e com deficiência auditiva sinalizantes.

Ao assegurar na LDB a oferta da educação bilíngue aos estudantes surdos, desde a educação infantil e ao longo da vida, se incentiva a produção de material didático bilíngue, a formação de professores e os currículos de Língua Brasileira de Sinais (Libras) como primeira língua e de Português como segunda língua.

Setembro Azul

No dia 26 de setembro, celebramos o Dia Nacional dos Surdos, data oficializada através do decreto de lei nº 11.796, de 29 de outubro de 2008. A escolha do 26 de setembro é uma homenagem à criação da primeira Escola de Surdos do Brasil, em 1857, na cidade do Rio de Janeiro, que atualmente é o Ines (Instituto Nacional de Educação de Surdos).

O mês de celebração do Dia dos Surdos, que é também o mês em que celebramos o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência e o Dia do Atleta Paralímpico, é conhecido como Setembro Azul. A cor escolhida remete a um hábito comum da Segunda Guerra Mundial, quando os nazistas identificavam as pessoas com deficiência com uma faixa azul no braço.

(Com informações de Governo Federal)

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter