Aos 88 anos, morre Dom Mauro Morelli

Bispo Emérito de Duque de Caxias (RJ) recebeu a ordenação episcopal pelas mãos de Dom Paulo Evaristo Arns, foi auxiliar de São Paulo entre 1975 e 1981, e teve engajamento no combate à fome no Brasil

Foto: Vatican Media

A Diocese de Duque de Caxias (RJ) comunicou, com pesar, o falecimento de seu bispo emérito, Dom Mauro Morelli, aos 88 anos, ocorrido na madrugada da segunda-feira, 9, na cidade de Belo Horizonte (MG), onde estava internado nos últimos dias após enfrentar um período de enfermidade devido às complicações inerentes à idade avançada.

“Neste momento de dor e pesar, como Igreja Diocesana presente em Duque de Caxias e São João de Meriti, recorremos à proteção materna da Virgem Senhora do Pilar. Desejamos, ao perceber os sinais de esperança, expressar nosso louvor ao Deus sábio, amoroso e misericordioso que nos concedeu a graça de ter Dom Mauro Morelli como nosso primeiro pastor. Com confiança na ressurreição, proclamamos em uma só voz: ‘Vem, Senhor Jesus!’ Descanse em paz, Dom Mauro!

Nossa Igreja tão querida o guardará no coração”, manifestou, na nota de pesar, Dom Tarcísio Nascentes dos Santos, Bispo de Duque de Caxias.

Ainda não há informações sobre as exéquias e o funeral de Dom Mauro.

UMA VIDA A SERVIÇO DA IGREJA

Nascido em Avanhandava (SP), em 17 de setembro de 1935, e criado em Penápolis, também no interior paulista, Dom Mauro Morelli era filho de Eduardo Morelli e Rosa Gomes. Seu percurso acadêmico incluiu estudos de Filosofia no Seminário Maior Nossa Senhora da Conceição, em Viamão (RS), e de Teologia na Saint Mary’s Seminary and University, em Baltimore, nos Estados Unidos, onde foi ordenado presbítero em 28 de abril de 1965.

Como sacerdote, ele foi Vigário na Paróquia São João Batista, em Rio Claro, no interior paulista (1966-1974); Vigário Episcopal na Região de Rio Claro da Diocese de Piracicaba (1967-1974); e Secretário do Regional da Sul 1 da CNBB (1971-1975).

Em 12 de dezembro de 1974, foi nomeado por São Paulo VI como Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Paulo, tendo recebido a ordenação episcopal na Catedral da Sé pelas mãos do Cardeal Paulo Evaristo Arns, em 25 de janeiro de 1975.

No período como Bispo Auxiliar de São Paulo, de 1975 a 1981, desempenhou diversas funções, incluindo a de Vigário Geral da Arquidiocese de São Paulo, membro da Comissão Representativa do Regional Sul 1 da CNBB e da Comissão Representativa da CNBB.

Em 25 de maio de 1981, Dom Mauro foi nomeado por São João Paulo II como o primeiro bispo da então recém-criada Diocese de Duque de Caxias.

“Durante os 24 anos que serviu como bispo desta diocese, deixou um legado significativo, incluindo a realização do primeiro sínodo diocesano, que lançou as bases para as Diretrizes Pastorais em diversos campos da vida eclesial, a implementação do plano de Comunhão de Bens e a fundação de novas comunidades. Além disso, promoveu grandes assembleias do Povo de Deus, como a Romaria do Pilar”, recordou Dom Tarcísio Nascentes dos Santos.

Foto: CNBB

DIREITOS HUMANOS E COMBATE À FOME

Dom Mauro também se destacou por seu compromisso com os direitos humanos e a luta contra a fome no Brasil. Entre 1986 e 1990, atuou no SER-PAJ-AL, uma organização internacional de defesa dos direitos humanos e órgão consultivo da ONU, presidido por Adolfo Pérez Esquivel, ganhador do Prêmio Nobel da Paz em 1980.

O Bispo foi um dos fundadores do Movimento pela Ética na Política e desempenhou um papel fundamental na promoção do conceito de segurança alimentar como parte do combate à fome. Dom Mauro Morelli presidiu o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) durante o governo de Itamar Franco, de 1993 a 1994, além de liderar o CONSEA-MG e o CONSEA-SP.

Sua atuação na luta contra a fome incluiU projetos como o Fome Zero e a Ação da Cidadania contra a Fome, em parceria com Hebert de Souza, o Betinho. Dom Mauro também foi membro do Comitê Permanente de Nutrição da ONU.

Após sua renúncia à Diocese de Duque de Caxias, em razão da idade, tornou-se Bispo Emérito. “Continuou sua missão como um verdadeiro missionário da vida, engajando-se em causas relacionadas à alimentação humana, saúde, respeito às fontes da vida e promoção da partilha e solidariedade entre as pessoas. Seu compromisso e contribuições para a sociedade brasileira o destacam como uma figura notável em ambos os âmbitos religioso e social”, escreveu Dom Tarcísio.

RECORDAÇÕES COM O CARDEAL ARNS

Luciney Martins/O SÃO PAULO

Quando da morte de Dom Paulo Evaristo Arns, em dezembro de 2016, Dom Mauro recordou, em um artigo, os momentos marcantes da convivência com o ‘Cardeal da Esperança”.

“Sinto-me honrado e privilegiado pelos dez anos de fraternidade e companheirismo com o saudoso franciscano pastor das periferias geográficas e existenciais, intrépido defensor da dignidade humana e promotor de democracia, Paulo Evaristo Arns que me ordenou bispo. Nossa jornada começou numa carona que lhe dei em 08.12.69 para o almoço depois da ordenação episcopal do capuchinho Dom Daniel Tomasella, segundo bispo de Marília. Inúmeras viagens e memórias do meu mestre e irmão bispo Paulo Evaristo”.

(Com informações de CNBB e da Diocese de Duque de Caxias)

guest
2 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Benedito João de Santana
Benedito João de Santana
9 meses atrás

Grande perda deste Grande discípulo de Jesus e Missionário.
Desde cedo, percebeu com muita clareza a missão de Jesus, acolher os pequeninos, dá lhe vos mesmos de comer, de beber, porque à um destes, servindo, é a mim que o serve.
Por isso, o fome zero. Por isso, a luta é combate pelo fim da desnutrição infantil.
Suas bandeiras, compreendidas como as bandeiras de Jesus, tem necessidades de continuar erguidas por todos nós!
Viva Dom Mauro Morelli.

Tarcizio de Paula Silva cebs em BH MINAS GERAIS
Tarcizio de Paula Silva cebs em BH MINAS GERAIS
8 meses atrás

Um homem de DEUS, verdadeiro teologo da libertacao seu legado sera lembrado e seguido pra sempre,foi no silencio sabio e nas atitudes que MAURO MORELLI soube jogar as redes em aguas mais profundas.Provou que religiao e politica ANDAM juntas quando o destino final e o bem do povo principalmente os que sobrevivem as margens da sociedade pluralista, desigual e imoral. DESCANSE EM PAZ MAURO MORELLI vc passou a vida fazendo o bem.