O dia mais letal da pandemia fecha o mês em que a COVID-19 ceifou 66,8 mil vidas

Nas últimas 24 horas foram 3.950 mortes, segundo o consórcio de veículos de imprensa, e 3.869, conforme dados do Ministério da Saúde

Agentes funerários arrumam túmulo em cemitério na cidade de Maringá, Paraná (foto: Arquivo Prefeitura de Maringá/Aldemir de Moraes)

Nesta quarta-feira, 31, o Brasil bateu um novo recorde no número de óbitos por COVID-19 registrados em 24 horas: foram 3.950 vidas perdidas para a doença, de acordo com dados do consórcio de veículos de imprensa, levando ao acumulado de 321.886 mortos desde o começo da pandemia.

O número de casos confirmados nas últimas 24 horas foi de 89.200, fazendo com que o acumulado até agora de pessoas que têm ou já tiveram a doença seja de 12.753.258.

A média móvel de mortes também chegou a um novo recorde: 2.971 por dia. Há 15 dias, esse valor médio está acima dos 2 mil mortos diários.

Os dados desta quarta-feira fecharam o pior mês da pandemia no Brasil até agora: em março, 66.868 pessoas morreram com a COVID-19. O recorde anterior havia sido registrado em julho de 2020, com 32.912 vítimas da doença: ou seja, os números de agora são mais do que o dobro daquele mês.

As informações fornecidas pelo Ministério da Saúde são diferentes, mas não menos preocupantes: em 24 horas, houve 3.869 registros de óbitos por COVID-19 no Brasil, levando ao acumulado de 321.515 vitimas fatais desde o começo da pandemia. Em número de casos, o total é de 12.748.747, sendo que 90.638 foram confirmados de ontem para hoje.

Vacinação

Levantamento de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde indicam que até agora 17,6 mil pessoas tomaram a 1a dose da vacina contra a COVID-19 (8,32% da população do País) e 5,09 mil já receberão a 2a dose (2,4% do total de habitantes).

Nesta quarta-feira, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a autorização temporária para uso, em caráter emergencial, da vacina da Janssen. O governo federal já adquiriu 38 milhões de doses desse imunizante.

Assim, quando for entregue ao País pela farmacêutica, esta vacina poderá ser aplicada em pessoas com mais de 18 anos, com ou sem comorbidades. Diferentemente dos outros imunizantes usados até agora no Brasil, CoronaVac e Covishield (Oxford/AstraZeneca), a vacina da Janssen é aplicada em dose única.

Recordes de óbitos em SP em março

O estado de São Paulo encerra março com o recorde de óbitos e casos por COVID-19. Entre os dias 1º e 31, foram 15.159 novas mortes e 428.221 casos.

Houve, ainda, crescimento no número de internações, que ultrapassaram a marca de 31 mil pessoas hospitalizadas num mesmo dia. Nesta quarta-feira, 31, são 31.175 internados, sendo 12.961 pacientes em leitos em UTI e 18.214 em enfermaria.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 89,9% no Estado e de 88,5% na Grande São Paulo, uma pequena queda frente aos indicadores dos últimos dias, sempre acima de 90%.

Desde o início da pandemia, o estado contabilizou 74.652 mortes e 2.469.849 casos. No decorrer da pandemia, foram 2.120.478 recuperados. Entre eles, estão 247.578 pessoas que estiveram internadas e receberam alta hospitalar.

Fontes: Agência Brasil, G1, Ministério da Saúde e Governo de São Paulo

ORAÇÃO DO PAPA FRANCISCO PELO FIM DA PANDEMIA
 
Que Deus detenha esta tragédia,
que detenha esta pandemia.
 
Que Deus tenha piedade de nós e que cesse também as outras pandemias tão ruins: 

a da fome, a da guerra, a das crianças sem instrução.
 
E peçamos isso como irmãos, todos juntos.
 
Que Deus nos abençoe a todos e tenha piedade de nós.
 

Papa Francisco – 20 de maio de 2020

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter