Projeto garante salário e sustento a agricultores de baixa renda na Diocese de Garanhuns (PE)

A iniciativa “Sementes do Semiárido”, contou com o apoio de recursos da Coleta da Solidariedade da Campanha da Fraternidade de 2019

projeto Sementes do Semiárido

De 11 de novembro de 2019 a 5 de maio de 2020, a Fundação Santuário das Comunidades Eclesiais de Base do Agreste Pernambucano desenvolveu o projeto Sementes do Semiárido com o apoio de recursos da Coleta da Solidariedade da Campanha da Fraternidade de 2019, realizada no Domingo de Ramos. As ações foram desenvolvidas nos sítios Cruz Nova, Cruz Velha e Oiteiro, localizados no entorno da comunidade Nossa Senhora de Guadalupe, na zona rural de Garanhus (PE).

O projeto buscou gerar autonomia financeira e garantir a permanência de 12 famílias de agricultores de baixa renda no campo, sendo 16 homens, 18 mulheres, 17 crianças e adolescentes e 16 jovens. A produção agrícola no agreste pernambucano é majoritariamente de feijão e milho. Em função das secas, as famílias muitas vezes são obrigadas a mudar-se para outras regiões e para as cidades em busca da sobrevivência.

O Sementes do Semiárido teve como base a criação de um Centro de Incentivo às Atividades Agrárias, com foco na produção pecuária comunitária de ovinos e caprinos (cabras) e na construção de canteiros de hortas e pastagens voltado especialmente para adolescentes aprendizes e jovens.

Um dos jovens, beneficiados pelo projeto, no vídeo abaixo, afirma: “Que o projeto ensina que é possível conquistar o seu próprio salário e sustento sem ter que se descolar para os grandes centros urbanos e cidades e que em um lugar simples, a partir de sua origem, se pode chegar ao extraordinário”. Veja o vídeo abaixo:

Inclusão produtiva e permanência na terra

Segundo a Maria Aparecida de Lourdes Souza, responsável pela Fundação Santuário das Comunidades Eclesiais de Base do Agreste Pernambucano, o objetivo do projeto foi incluir adolescentes e jovens no aprendizado e na valorização das atividades agrárias, além de gerar renda para as famílias. Ela explicou que os aprendizes participaram semanalmente da rotina da comunidade, acompanhando a produção vegetal e o manejo de animais, trabalho feito a partir da orientação de técnicos voluntários do projeto.

“Estas ações buscam estabelecer um círculo comunitário de cooperação para produção animal e vegetal, gerando renda para as famílias e fixando diferentes gerações no campo. O principal resultado do projeto é a geração de renda para os beneficiários. Uma demonstração que é possível valorizar as suas raízes, permanecer e viver dignamente em comunidades rurais do agreste pernambucano”, disse.

Com o apoio técnico da Universidade Federal do Agreste Pernambucano (UFAPE), o projeto também ensinou técnicas de convivência com o semiárido como a captação e utilização das águas da chuva e a produção agroecológica de verduras, tubérculos e frutas, com incentivo para o cuidado com o meio ambiente e a segurança alimentar da comunidade.

Uma série de ações foram desenvolvidas com apoio de voluntários e técnicos mobilizados: reuniões, estudos de topologia da área, preparação do solo, construção do aprisco, instalação de telas e porteiras para a divisão das áreas de pastejo, preparação da área de plantio de milho, montagem de estrutura para aproveitamento de águas das chuvas, preparação de mudas e plantio da horta, instalação de estrutura hidráulica, colheita.

Fundo Nacional de Solidariedade

A Campanha da Fraternidade tem como gesto concreto a Coleta Nacional da Solidariedade, realizada no Domingo de Ramos nas comunidades de todo o Brasil. Os recursos são destinados aos Fundos Diocesanos e Nacional da Solidariedade, os quais apoiam projetos sociais relacionados à temática da campanha.

Em 2019, o Fundo Nacional de Solidariedade (FNS) distribuiu a quantia de R$3.814.139,81, atendendo a mais de 238 projetos. Em 2020, por causa da pandemia, não ocorreu arrecadação. Conheça alguns projetos apoiados pelo FNS. O portal da CNBB está divulgando, desde o dia 10 de fevereiro, uma série de matérias sobre cada um dos projetos apoiados em 2019.

Desde 2018, o FNS disponibiliza um site onde é possível acompanhar e saber como anda a evolução da prestação de contas dos projetos, por meio do Portal da Transparência que pode ser acessado pelo site: www.fns.cnbb.org.br. Nele, há uma relação completa dos projetos aprovados.  A CNBB também presta contas ao Ministérios da Cidadania e Justiça, Ministério Público e ao Conselho de Assistência Social (CAS).

(Com informações de CNBB)

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter