Santuário em Tatuí (SP) torna-se Basílica Menor de Nossa Senhora da Conceição

Celebração realizada em 21 de abril, teve entre os concelebrantes Dom Jorge Pierozan e Dom José Benedito Cardoso, Bispos Auxiliares da Arquidiocese de São Paulo

Santuário em Tatuí (SP) torna-se Basílica Menor de Nossa Senhora da Conceição
Fotos: Basílica Menor de Nossa Senhora da Conceição

A Diocese de Itapetininga (SP) realizou na quinta-feira, 21, a celebração de instalação da Basílica Menor de Nossa Senhora da Conceição, até então um santuário diocesano, localizado na cidade de Tatuí.

A celebração fez parte das comemorações de 200 anos de existência da igreja matriz, fundada no ano de 1822.

A missa foi presidida pelo bispo diocesano, Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto, CR, tendo entre os concelebrantes Dom Júlio Endi Akamine, Arcebispo de Sorocaba; Dom Arnaldo Cavalheiro Neto, Bispo de Itapeva; Dom Manoel Ferreira dos Santos Júnior, Bispo de Registro; Dom José Benedito Cardoso e Dom Jorge Pierozan, Bispo Auxiliares de São Paulo;e Padre Élcio Roberto de Góes, Reitor da Basílica.

A celebração também contou com a presença de Padres, Diáconos, religiosos, seminaristas, autoridades e centenas de fiéis que lotaram a Igreja Matriz.

No início da missa, o Padre Luiz Paulo Braga, Chanceler do Bispado, apresentou o Decreto Pontifício, no qual constam as motivações que fundamentaram a concessão do título de Basílica Menor à Igreja, bem como a outorga do Papa Francisco por meio da “Congregação para o culto Divino e da Disciplina dos Sacramentos”, que dispõe sobre os privilégios e as obrigações inerentes a este título.

Após a leitura do decreto foram acolhidas as Insígnias Basilicais que são:  Virga Rubra (uma espécie de bastão, revestido de tinta vermelha com decorações e ponteiro em prata, que é levada processionalmente; tem a função de guiar o cortejo pelo caminho próprio), Tintinábulo (espécie de estandarte com um pequeno sino; na Idade Média, ele tinha a função de anunciar ao povo de Roma a proximidade do papa durante as procissões) e Umbela Basilical ou Conopeu Basilical (é um tipo de guarda-sol, que é usado sempre semiaberto e possui as cores do Vaticano, o brasão do papa, o brasão do bispo, o brasão da Diocese, o brasão do reitor da época da eleição e a bandeira do município onde está instalada a Basílica).

Santuário em Tatuí (SP) torna-se Basílica Menor de Nossa Senhora da Conceição

UM TEMPLO BICENTENÁRIO

Durante homilia, Dom Gorgônio, comentou que todos nós somos agraciados por este título concedido pelo Papa Francisco. “Este título expressa comunhão com o Papa, a unidade da Igreja e a nossa caminhada de fé“, diz o Bispo.

Também ressaltou as comemorações dos 200 anos de história do templo e lembrou das pessoas que passaram por essa igreja e que deixaram a sua marca testemunhando o bem no amor e na fé. “Bendito seja aqueles que vieram antes de nós, que construíram essa bela igreja, que findaram nessa cidade a fé católica para que nós pudéssemos também viver, participar e ser verdadeiro povo de Deus”.

Dom Gorgônio concluiu, pedindo aos fiéis o compromisso  e a responsabilidade, assumindo um empenho maior na evangelização, onde não é apenas uma honra ou privilégio e sim um compromisso de caminhar com Cristo unidos ao Santo Padre o Papa, sempre fazendo o bem.

No final da celebração, Padre Élcio, Reitor da Basílica,  fez uso da palavra e ressaltou a alegria de receber este reconhecimento  e que é ao mesmo tempo uma missão em servir mais e melhor, sendo fiel ao magistério do Santo Padre, sendo um lugar de oração, perdão, de misericórdia e acolhida para todos os filhos de Deus e devotos de Nossa Senhora da Conceição.

Com a elevação, a Igreja Matriz de Tatuí se torna a 74ª Basílica Menor do Brasil, 22ª do Estado de São Paulo e a 2ª da Diocese de Itapetininga, juntamente com a Basílica de São Miguel Arcanjo instalada em 2018.

Na segunda década de 1800, quando o então Príncipe Regente do Império Brasileiro, tendo ouvido os insistentes apelos dos fiéis cidadãos da pequena aldeia, decidiu autorizar a construção de uma pequena capela, que deveria ser dedicada à veneração da Conceição de Maria.

Foi assim que o quinto Bispo da Província de São Paulo, Dom Matheus de Abreu Pereira, criou a primeira paróquia da cidade em 1818, nomeando como primeiro pároco o padre Anacleto Dias Baptista, em 4 de Janeiro de 1822.

Com base em arquivos e documentos históricos, é possível dizer que a cidade de Tatuí, como é hoje, nasceu em torno desta capela dedicada à Imaculada Conceição. Os camponeses queriam que o símbolo material da presença de Deus estivesse mais perto deles.

Santuário em Tatuí (SP) torna-se Basílica Menor de Nossa Senhora da Conceição

O TÍTULO DE BASÍLICA MENOR

Este é um título antigo da Igreja Católica. O Papa é a única pessoa que pode conceder o título de “basílica” a um templo. Depois ainda que o Império Romano historicamente se tornou oficialmente cristão, o título foi concedido a Igrejas geralmente importantes pelos mais diversos motivos como veneração das devoções cristãs, historicidade, beleza artística e arquitetônica. Goza ela, segundo o direito canônico, de certas particularidades, como altar reservado ao papa, ao cardeal ou ao bispo, conferindo-lhe, sobretudo uma dimensão de status internacional, pois não submete-se apenas à jurisdição eclesiástica local.

No mundo, existem apenas quatro basílicas intituladas maiores – situadas na cidade de Roma: são elas: São Pedro, São João de Latrão, Santa Maria Maior E São Paulo Extramuros. As demais basílicas são intituladas menores e são mais de 1800 em todo o mundo.

Fonte: Diocese de Itapetininga

Deixe um comentário