Em vigor, alguns frutos do sínodo

Faz bem lembrar que a cidade de São Paulo nasceu em torno de uma capela e de uma escolinha, que faziam parte do trabalho missionário dos padres da Companhia de Jesus (Jesuítas), em meados do século XVI. Para ser mais preciso, a data referencial do nascimento da cidade é o dia 25 de janeiro de 1554, dia em que se comemora ainda hoje, na Liturgia da Igreja, a conversão do apóstolo São Paulo. Podemos dizer, sem restrições, que a metrópole de São Paulo teve início em torno do altar e no contexto do serviço missionário prestado aos povos originários e aos portugueses que, aos poucos, foram se estabelecendo no núcleo inicial da cidade.

Essa lembrança de nossas origens nos motiva a seguirmos, como Igreja de Cristo, promovendo o anúncio e o testemunho do Evangelho na atual metrópole, tão complexa e agitada, onde Deus também habita e mostra sua benevolência para com seus filhos e filhas. Somos missionários urbanos a testemunhar que “o reino de Deus chegou”, reino de verdade e de vida, de justiça, amor e paz.

Neste ano, na comemoração da festa de São Paulo, entram em vigor diversos “instrumentos administrativos e pastorais” da nossa Arquidiocese, frutos do 1º sínodo arquidiocesano (2017-2023). Entre eles, o Diretório da Pastoral dos Sacramentos, que foi profundamente renovado e passa a ser adotado em conjunto com todas as dioceses da Província Eclesiástica de São Paulo. Mediante esse Diretório, impulsionada pelo sínodo, a arquidiocese de São Paulo renova seu esforço de celebrar a fé nos Mistérios de Cristo, mediante os quais entramos em comunhão com Deus e recebemos suas graças.

Entram em vigor também as Normas Administrativas e Financeiras da Arquidiocese, que foram revistas e profundamente renovadas. Os bens da Igreja, em todas as suas comunidades e organizações, não são propriedade privada de nenhum de seus membros e estão a serviço da vida e da missão da Igreja nas suas diversas dimensões. Portanto, precisam ser administrados com sabedoria e prudência para cumprirem sua finalidade. O conjunto de Normas Administrativas e Financeiras destina-se a promover a boa administração, a justiça e a solidariedade fraterna na Igreja.

Também foram renovadas as Diretrizes a Formação Presbiteral na Arquidiocese, que envolvem a pastoral das vocações sacerdotais, a formação dos seminaristas nas diversas etapas de sua preparação ao sacerdócio no Seminário e a formação permanente dos que já são sacerdotes e exercem o seu ministério. A boa formação sacerdotal é uma questão central na vida da Igreja.

Ainda, neste dia 25 de janeiro entra em vigor a reorganização pastoral da Arquidiocese, com alguma redistribuição das paróquias pelas Regiões Episcopais. Outra decisão importante é a criação de 24 Decanatos, em lugar dos 56 Setores pastorais até agora existentes. Os Decanatos têm funções pastorais próprias e serão coordenados por um Padre Decano. Os Decanos estarão próximos da vida pastoral, dos presbíteros, diáconos, religiosos e leigos. Eles também oferecerão uma colaboração significativa para a animação pastoral das Regiões Episcopais. Os Decanatos têm nomes bíblicos e a proposta é que isso possa contribuir para a animação bíblica de toda a pastoral.

Nossa Arquidiocese é imensa e, por um lado, precisa simplificar e tornar mais ágil a sua organização pastoral. Por outro lado, precisa ter clareza a respeito de sua missão e das suas prioridades eclesiais e pastorais. A Igreja existe para evangelizar. Esta é a prioridade das prioridades e, portanto, a organização pastoral deve favorecer a evangelização e a missão. A Igreja também deve testemunhar a fé por meio da sua celebração na Liturgia, da oração e da vida moral. E precisa testemunhar a caridade de Cristo, bom pastor, que está atento às necessidades e sofrimentos de todas as ovelhas do seu rebanho.

Que o Espírito Santo nos ajude com sua graça e seus dons, para realizarmos bem nossa missão. Que o apóstolo São Paulo nos ajude com seu exemplo de discípulo dedicado ao Evangelho e ao testemunho de Jesus e interceda por nós.

guest
2 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Clarice
Clarice
1 mês atrás

Que o espírito Santo de Deus reine nessa nova jornada e que o reino de Deus seja o centro e motivo para tdo esse renovo!!
Deus os abençoe!!

Luiz
Luiz
1 mês atrás

São João Crisostomo profetizou o seu destino.