Deus entra em nossas casas

A Novena do Natal, celebrada neste ano nas famílias de nossa Arquidiocese, traz como tema – “Deus entra em nossas casas”. O tema está em sintonia com as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que colocam em destaque a temática da “Igreja nas casas”, lembrando a importância das famílias e dos grupos de base da Igreja para a acolhida e vivência da fé, bem como para a sua transmissão.

A própria Igreja se entende como a família de Deus, convocada e reunida pelo Filho, enviado ao mundo para convidar todos a fazerem parte dessa grande família de famílias. Além disso, a Igreja reconhece que a família-casa é uma “Igreja doméstica”, célula vital da grande Igreja. De fato, esta é a comunidade dos discípulos de Cristo, reunidos com Ele, ouvindo e acolhendo sua Palavra, seguindo seus passos e testemunhando a vida nova que brota do Evangelho. Assim, a família cristã também é uma pequena comunidade de discípulos de Cristo, reunidos em nome Dele, vivendo a graça do Batismo e desempenhando a missão que lhe é própria. A pequena comunidade cristã doméstica se abre à grande Igreja na medida em que participa da Eucaristia e se insere, com as demais famílias, na vida da sua paróquia.

A Novena de Natal convida à reflexão e oração sobre as cenas bíblicas do nascimento, infância e vida oculta de Jesus e mostra como Deus entrou na vida e na casa das pessoas envolvidas nesses momentos e cenas do Natal. Atrás de toda a temática do Natal está a celebração do mistério da Encarnação do Filho de Deus, enviado por Deus Pai a este mundo, que assumiu a nossa humanidade e nasceu humano da Virgem Maria. O mundo e o universo inteiro são casa em que Deus habita; vindo à Terra, “casa dos homens”, o Filho de Deus valorizou a inteira criação e fez resplandecer nela a glória e a misericórdia de Deus de um modo novo. O Filho eterno de Deus veio viver nossa vida e nossas limitações neste pequeno ponto do universo, nossa Terra. Deus fez morada em nossa “casa comum”. Grande mistério da fé, que contemplamos no Natal!

Por meio do anjo Gabriel, Deus entrou na casa de Maria e lhe anunciou que ela seria a Mãe do Filho de Deus que dela nasceria humanamente. Deus entra na casa de Maria e lhe pede a colaboração generosa para a realização de seu plano amoroso de salvação de toda a humanidade. O mesmo aconteceu com José, noivo de Maria, que andava preocupado, sem compreender o que se passava com ela, vendo a sua gravidez. Deus convida igualmente José a entrar e participar desse misterioso plano de amor. Ele aceitou, como também Maria havia feito, confiando-se à vontade divina. E ambos foram colaboradores fiéis de Deus, que entrou em suas vidas e suas casas.

O sacerdote Zacarias e sua mulher Isabel, prima de Maria, também tiveram uma visita surpreendente de Deus em suas vidas, com o anúncio de que seriam pais, mesmo em idade avançada. Zacarias nem conseguiu acreditar, mas Deus os envolveu, mesmo assim, e os chamou para serem colaboradores na sua obra. João Batista, o filho que nasceu, foi o profeta que preparou o povo para acolher o ungido de Deus, Jesus, Filho de Deus e filho de Maria. Com sua visita, Maria levou Deus à casa de Zacarias e Isabel e a encheu com o Espírito divino. Quando Deus entra na casa e a família o acolhe, o lar se enche de vida nova, alegria e esperança.

As cenas do nascimento de Jesus em Belém, deitado numa manjedoura, cercado de pastores maravilhados, animais domésticos e de anjos em festa, mostram a entrada de Deus na casa dos pobres e pessoas de bom coração, que se deixam arrebatar pelas maravilhas de Deus. Envolto em paninhos, como acontece com qualquer recém-nascido, e repousando na humilde manjedoura, Jesus, o Filho de Deus, fez-se pobre entre os pobres, frágil com os vulneráveis; de bracinhos abertos, Ele está pronto para receber a nossa acolhida e a correspondência ao seu amor. Ele quer abraçar a todos com imensa ternura no abraço humano de Deus.

A cena da fuga para o Egito mostra o Filho de Deus que compartilha a sorte dos perseguidos, refugiados e dos migrantes em busca de segurança para viver em paz. O Filho de Deus não está longe daqueles que não têm casa, nem trabalho, nem renda, nem pátria, e dependem da generosa acolhida dos outros. Ele se fez próximo de todos, também daqueles que não têm casa, para dizer: “Estou contigo, coragem!” O encontro de Deus com a humanidade, celebrado no Natal, continua acontecendo ainda hoje. Basta ter olhos abertos para ver e coração sensível para acolher. Ele quer entrar também em nossas casas e caminhar conosco. Ele se fez “Emanuel – Deus-conosco” para sempre.

Colunas Relacionadas

Deus entra em nossas casas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Colunas

Assine nossa Newsletter