Confira nossa versão impressa

Rede Vida, 25 anos

A Rede Vida de Televisão comemora 25 anos de fundação e de programação. Sua história se insere no esforço da Igreja no Brasil em evangelizar, de maneira mais decisiva e eficaz, por meio da televisão, para levar a imagem e a mensagem da Igreja Católica ao povo e aos lares brasileiros.

Não é demais recordar que, nos anos 1990, a presença da Igreja Católica na televisão brasileira ainda era muito tímida, enquanto já havia uma forte presença dos grupos evangélicos nesse meio de comunicação. Muitos católicos se questionavam: onde está a Igreja Católica, que não aparece e não se vê? Enquanto isso, em seus monitores havia abundantes imagens de templos evangélicos repletos de fiéis e de pregadores entusiastas a atrair sua atenção. As imagens não deixam de impactar o inconsciente coletivo, levando facilmente a concluir, embora de maneira equivocada: “O que não se vê na televisão, não existe”. Os católicos brasileiros sentiam a necessidade de se reconhecer e se identificar com uma linguagem televisiva que pudessem vincular à sua comunidade de fé. Também outros canais e redes de televisão de inspiração católica foram logo surgindo no mundo da comunicação ligado à Igreja, participando de sua missão.

Os católicos brasileiros sentiram- -se alegres e reconfortados ao ver e ouvir a sua Igreja pela TV, que chegava às suas casas e lhes falava familiarmente da fé, da cultura e das orientações para a vida diária.

A Rede Vida convidava para momentos de celebração, oração e pregação; proporcionava, com frequência e sem filtros, a imagem e a palavra do Papa e dos bispos, contribuindo, dessa maneira, para a unidade da Igreja e para nutrir e fortalecer os laços de comunhão entre os fiéis e seus pastores, e vice-versa. Mediante sua programação, a Rede Vida ajudou muitos a conhecerem locais importantes ligados à fé e à devoção do povo católico, como os lugares santos da Bíblia, da vida de Jesus e dos santos, os santuários e templos católicos pelo Brasil e o mundo, testemunhas preciosas da nossa fé. Ajudou a conhecer e divulgar a extraordinária variedade cultural das práticas da vida cristã católica, embora unidas pela mesma fé.

Com coragem e pioneirismo, a Rede Vida respondeu ao apelo, tantas vezes reiterado, do Papa e dos bispos para que a Igreja Católica entrasse com decisão e sem medo no vasto, desafiante e promissor mundo das comunicações, para anunciar a Boa-Nova do Evangelho e contribuir, de maneira eficaz, com a edificação da sociedade, à luz dos princípios do Evangelho. Foram 25 anos de muito trabalho e aprendizado, de dificuldades e de êxitos inegáveis, os quais agradecemos a Deus.

Muitos contribuíram para a história da Rede Vida nesses 25 primeiros anos de sua existência. Pioneiro dessa iniciativa foi o jornalista João Monteiro de Barros Filho, ao colocar a TV Independente a serviço da missão da Igreja no Brasil. Igualmente, também, Dom Luciano Mendes de Almeida, que foi Arcebispo de Mariana (MG) e Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), um grande entusiasta e incentivador da criação da Rede Vida. Dom Antonio Maria Mucciolo, então Bispo de Barretos (SP) e, em seguida, Arcebispo de Botucatu (SP), dedicou longos anos de sua vida a este canal televisivo como Presidente do Instituto Brasileiro de Comunicação Cristã (Inbrac), mantenedor deste importante veículo de comunicação católico. Não de forma diferente, também colaborou muito o Cardeal Orani João Tempesta, Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ), que presidiu o Inbrac por oito anos. Numerosos leigos, padres e bispos abraçaram com entusiasmo, desde o início, a causa da Rede Vida. Com seu apoio, a programação deste canal católico chegou rapidamente aos lares dos centros urbanos e também aos lugares mais remotos do imenso território brasileiro. Um time bem variado de comunicadores, servidores e benfeitores da Rede Vida, nesses 25 anos, moldou seu rosto e sua linguagem, ajudando a sustentar a sua programação. Os telespectadores e apreciadores de seus programas também se tornaram participantes da sua missão em favor da evangelização.

Certamente, nem tudo é perfeito, e a Rede Vida pode e deve ser sempre mais aprimorada e eficaz, em comunhão e sintonia com as orientações da Igreja e com os princípios que norteiam a ação e a vida cristãs. No mundo cultural e religioso, em constante mutação, é preciso aprender com as próprias falhas, para aprimorar ulteriormente nosso serviço à missão da Igreja. É inegável, porém, que a Rede Vida, como as demais redes e canais de televisão ligados à Igreja, presta hoje um inestimável serviço à evangelização no Brasil.

Colunas relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

São João Paulo II: um Santo e poeta da Igreja

Dando sequência a série especial que rememora santos poetas da Igreja ao longo da história, O SÃO...

Declaração de Consenso de Genebra: avanço na luta contra o aborto

Brasil é um dos 32 países que assinam o documento que reforça a autonomia dos país na proteção da vida dos nascituros

Relatório da Caritas SP mostra os impactos da pandemia em crianças refugiadas

A equipe de Proteção do Centro de Referência para Refugiados da Caritas Arquidiocesana de São Paulo (CASP) produziu um relatório sobre os...

‘A vida cristã bem vivida é um dom para o próximo e para a sociedade’

Na missa deste sábado, 24, na capela de sua residência, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de...

Em hospitais, capelas ajudam no recobrar das forças e no encontro com Deus

A doença chega, avança e a internação hospitalar se torna inevitável. E também para quem estava saudável...

Newsletter