Confira nossa versão impressa

Animando a Esperança

Acaba de nascer na Arquidiocese de São Paulo uma iniciativa para enfrentar este tempo difícil imposto pelo novo coronavírus, que além da pandemia, da quarentena e do isolamento social, deixa um saldo assustador de mortos, de incerteza e de instabilidade social, política e econômica. Nesse contexto, sobretudo pautado pela solidariedade entre as pessoas, surge o projeto “Animando a Esperança”, que vai ganhando visibilidade no âmbito de nossa arquidiocese.

Trata-se de uma iniciativa que busca dar visibilidade às obras sociais da Igreja em São Paulo e do conjunto de suas diversas instituições: paróquias, congregações religiosas, institutos, colégios, hospitais, obras sociais, movimentos, pastorais, voluntariados, somados à iniciativa privada e órgãos públicos.

Como disse Jesus aos seus discípulos, referindo-se a um dos tantos serviços a eles confiados, “Dai-lhes vós mesmo de comer!” (Mt 14,16). Dessa forma, a Igreja em São Paulo entende como sua missão socorrer os pobres e necessitados, sobretudo neste momento trágico em que vivemos.

O projeto “Animando a Esperança” tem o objetivo de, além de dar visibilidade, criar novos laços e fortalecer aqueles existentes no serviço da caridade, de modo que se tornem pontos de esperança a todos quantos precisam. Muitos necessitam de ajuda e há também, em nosso meio, uma grande multidão de pessoas que colaboram de modo sistemático, outras que gostariam de fazê-lo e também aquelas que ainda não ajudam a socorrer os pobres por não saberem como devem proceder.

Buscando contribuir nessa árdua missão de tornar mais conhecidas as ações de caridade da Arquidiocese e de suas organizações a favor dos pobres e necessitados, a página do projeto “Animando a Esperança” (arquisp.org.br/animando-a-esperanca) encontra-se disponível para acesso. Além de mostrar e oferecer os contatos de grande parte das entidades caritativas presentes no nosso território, mostra também a quantidade acumulada de doações em favor dos pobres (cestas básicas, “marmitex”, cobertores, roupas, kits de higiene etc.). É um modo de servir a Jesus no pobre: “Vinde, benditos de meu Pai… Pois tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me recolhestes; estive nu, e me vestistes; doente, e me visitastes; preso, e vieste ver-me” (Mt 25,35-36).

O projeto “Animando a Esperança” é mais um dos esforços nascidos em meio à atual situação. Ele necessita do esforço de todos e de cada responsável nas diversas organizações da Arquidiocese (bispos, padres, diáconos, religiosos e leigos) que promove ou que poderá promover a caridade organizada em seu meio. Para tanto, basta se cadastrar no questionário https://forms.gle/knHvEPScMAqyVmSs5.

“Dai-lhes vós mesmo de comer”: eis a nossa missão, que poderá se tornar mais visível e abrangente com a sua participação. Vamos juntos animar a esperança daqueles que Deus nos confiou para cuidar: os pobres e necessitados. Seguimos em frente, “Animando a Esperança”.

Colunas relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Colunas

No próximo sábado serão criados 13 novos cardeais

Dos 13 novos cardeais, dois não poderão participar das cerimônias por causa da emergência coronavírus: Dom Cornelius Sim, Vigário Apostólico de Brunei e Dom...

Dom Odilo: viver bem cada dia, na esperança de que o Senhor virá

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a missa desta terça-feira, 24, na capela de sua residência, transmitida pela rádio 9...

Ordenação marca os 20 anos do diaconato permanente na Arquidiocese de São Paulo

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu a ordenação de cinco novos diáconos permanentes para a Arquidiocese no sábado, 21. A...

Butantan anuncia que testes da CoronaVac chegaram à fase final

Os resultados sairão na primeira semana de dezembro Chegou à fase final o estudo clínico da CoronaVac, a vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria...

Ministério reconhece estado de calamidade pública no Amapá

Estado ficou mais de 80 horas sem energia elétrica e até agora a situação não foi totalmente restabelecida O Ministério do Desenvolvimento Regional publicou portaria...

Newsletter