Recebei o Espírito Santo

Neste domingo, 50 dias depois da Páscoa, a Igreja celebra a Solenidade de Pentecostes, a vinda do Espírito Santo sobre os apóstolos. Por medo dos judeus, os apóstolos estavam trancados em casa, pois tinham testemunhado a Paixão e a Morte de Jesus e estavam com medo de sair às ruas, pois certamente seriam questionados sobre o seu seguimento do Mestre. Jesus, ressuscitado dos mortos, entra no lugar onde eles estavam e lhes transmite a paz, causando-lhes grande alegria: “A paz esteja convosco”… “Como o Pai me enviou, também eu vos envio”… “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos” (cf. Jo 20,19-23).

Ressuscitado dos mortos, Jesus possui a plenitude dos dons celestes: a paz. Ele a transmite aos discípulos para que também eles, plenificados do dom da paz, possam, de agora em diante, testemunhá-lo com coragem e alegria. O dom da paz, do perdão e do Espírito Santo passam a ser a herança dos que creem em Jesus ressuscitado e no seu nome são batizados. Dessa forma, a vida dos discípulos de Jesus, e a de todos os batizados, como nos mostra São Tiago, está sob o sinal que recebemos no Batismo e na Crisma, nosso Pentecostes. A vida de fé de cada cristão deve, por isso, amadurecer e espalhar os frutos do Espírito Santo, que são: amor, alegria, paz, perdão, paciência, bondade, serviço, confiança, temperança, mansidão, coragem, autodomínio, caridade etc. É o Espírito Santo que renova todas as coisas. Muda para melhor o nosso jeito de ver e de lidar com as pessoas e com as coisas, por exemplo, com o dinheiro, o poder e os bens materiais.

Revestidos do Espírito Santo, os discípulos saem pelas ruas e praças, anunciando que Jesus está vivo e pode dar sentido à nossa vida, dando- -nos nova vida espiritual, o dom de acreditar Nele. Sem o Espírito Santo, os discípulos continuariam trancados, com medo, inquietos e sem alegria. “A paz esteja convosco”: foi com essa saudação que Jesus se apresentou e batizou, no Espírito, o grupo dos discípulos. Cheios do Espírito Santo, são por Ele enviados ao mundo para, em seu nome, disseminar o perdão e a paz: “Recebei o Espírito Santo: a quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados” (Jo 20,22-23).

Jesus Ressuscitado inaugura um novo tempo, o tempo do perdão e da paz, o tempo do Espírito. Tempo de sairmos como Igreja missionária para anunciar a todos esta boa notícia: que em Jesus Cristo, Deus nos perdoou e nos fez seus missionários. Anunciar que Ele nos libertou do pecado e do medo da morte, renovando-nos e vindo habitar em cada pessoa humana. Que, por meio do seu Espírito, possamos Nele viver e agir, praticando o perdão que Dele recebemos, pois somos novas criaturas, capazes de construir relações novas, fundadas no amor, na justiça e na paz

- publicidade -

Colunas relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas colunas

O que são as 15 orações de Santa Brígida?

“Padre, ganhei um livro com 15 orações de Santa Brígida e sete formas de rezar o Pai-Nosso. O senhor conhece estas orações?...

‘Quarentite’: o que é isto?

O sufixo ite, nos termos relacionados à área da Saúde, significa “inflamação, que gera dor e não permite o adequado funcionamento do...

Crucifixos e prédios públicos

O grande assunto do momento, naturalmente, é a pandemia de COVID-19. Isso não impede, no entanto – ou ao menos não deveria...

‘Manso e humilde de coração’

14º DOMINGO DO TEMPO COMUM 5 DE JULHO DE 2020 Antes de sua conversão, Santo Agostinho – homem erudito...

Newsletter