Visita ad limina: em comunhão com Pedro e Paulo

Durante uma semana, os bispos das dioceses que integram as províncias eclesiásticas de São Paulo, Aparecida e Sorocaba realizaram sua visita ad limina Apostolorum, em Roma. Acompanhou-nos também Dom Edgar Madi, bispo eparca da Eparquia de Nossa Senhora do Líbano, para os católicos de rito maronita do Brasil, que tem sede em São Paulo. Foi uma semana intensa de reuniões, celebrações e deslocamentos na cidade de Roma. 

Em cada Dicastério visitado, houve uma reunião com os responsáveis por sua condução; nas reuniões, apresentamos as questões de nossas dioceses que dizem respeito a cada Dicastério: liturgia, clero, leigos, família e vida, promoção humana integral, vida consagrada, cultura, educação, comunicação. Sempre houve um diálogo interessante e intercâmbio dos bispos com a Santa Sé sobre as situações, desafios e êxitos do trabalho da Igreja em nossas dioceses. Da parte da Santa Sé, ouvimos também sobre as mesmas questões, vistas e sentidas a partir do “entorno” do Papa. Os Dicastérios da Cúria Romana, de fato, estão a serviço do Papa e de sua missão na Igreja e no mundo. 

Fizemos visitas à Pontifícia Comissão para a América Latina (CAL), que está integrada ao Dicastério para os Bispos, e tivemos um diálogo interessante sobre a Igreja e a sociedade na América Latina. A CAL é um organismo que acompanha especialmente a vida da Igreja em nosso subcontinente, onde vive mais da metade dos católicos na atualidade. 

Na Secretaria de Estado, por sua vez, tivemos um diálogo sobre as relações da Igreja com a sociedade, especialmente no aspecto político, quer em nosso País, quer no mundo todo. Mais uma vez, ouvimos o incentivo sobre a formação dos leigos para a participação organizada na vida política, tendo em base os critérios da Doutrina Social da Igreja. A ação diplomática da Santa Sé em todo o mundo é intensa, sobretudo por meio das numerosas Nunciaturas Apostólicas, coordenadas pela Secretaria de Estado.

A última audiência foi a do Papa Francisco, no dia 23 de setembro. O Papa reservou duas horas para o diálogo com o nosso grupo. Sem discursos nem formalidades. Sempre sorridente e alegre, pediu que todos se sentissem à vontade para falar com simplicidade e de modo direto aquilo que quisessem. E muitos o fizeram, abordando as principais questões que dizem respeito à Igreja em nossas dioceses e no Brasil. Por sua vez, o Papa respondia e abordava também, de modo direto e sem rodeios, os temas que o preocupam na Igreja toda e no mundo social, econômico e político. O diálogo poderia ter-se prolongado por mais tempo, mas era preciso levar em conta que havia mais gente na fila, para ser atendida por Francisco, que está bem-disposto, apesar de suas dores no joelho. 

Parte da visita ad limina foram também as celebrações nas quatro grandes basílicas papais: São Pedro, no Vaticano, São João de Latrão, Santa Maria Maior e São Paulo Fora dos Muros. Iniciamos em São Pedro e concluímos em São Paulo. Renovamos a nossa fé junto dos túmulos dos Apóstolos, em comunhão com Pedro e seu Sucessor, que tem a missão de confirmar a todos na fé e comunhão com Cristo e a Igreja, e na companhia de Paulo, missionário apaixonado por Cristo que partiu para o meio dos povos, a fim de levar-lhes a Boa-Nova da salvação de Jesus Cristo, Filho de Deus, nosso Salvador. 

Deixe um comentário