É tempo de planejar as finanças para o ano que se inicia

Deixar de lado a procrastinação e aumentar a produtividade para concretizar sonhos são algumas das dicas

Foto: Pixabay

Grande parte dos brasileiros não tem o hábito de planejar a vida financeira, e no país não se cultiva uma cultura de valorização à educação financeira. Muitas famílias têm medo ou quase não falam de economia e as escolas pouco abordam sobre o assunto com propriedade.

Ao planejar as finanças, porém, é possível sair das dívidas, gerenciar com propriedade os gastos, perceber onde e como economizar e fazer investimentos.

UMA NOVA DIREÇÃO

O planejamento financeiro é uma estratégia, um guia norteador para tomada de decisões. “É uma ferramenta que possibilita definir, compreender e objetivar o todo a ser alcançado, a partir de ferramentas de controle, inteligência e autocontrole capazes de facilitar a realização dos objetivos preestabelecidos”, destaca Maiara Xavier, 34, educadora financeira.

“Quem não tem o hábito de planejar sua vida, suas finanças, é como um carro sem direção, não tem um destino a chegar. O planejamento é uma bússola que orienta o melhor caminho a ser seguido”, afirma Tathiane Deândhela, especialista em produtividade.

Criar o hábito de fazer um planejamento não é algo difícil ou assustador. O importante é iniciar, “colocar as metas e os objetivos no papel, a começar pelas simples até as mais ousadas e, a cada etapa, avaliar os resultados”, afirma Maiara. É preciso empenho e fidelidade para se chegar aos resultados desejados.

ANALISE SEUS GASTOS

O primeiro passo é ter na ponta do lápis a receita e os gastos mensais. “É fundamental saber, exatamente, o quanto se ganha no mês e, também, em quê se gasta. Ter uma análise de todas as fontes de receita, fixas ou variáveis”, salienta Maiara.

ESTABELEÇA METAS

Conhecendo a própria realidade financeira, é possível traçar planos de forma consciente e sólida. “Defina o que você quer alcançar. Em seguida, trace estratégias para concretizar e pontue os desdobramentos para percorrer e alcançar seus objetivos. O planejamento possibilita ter uma visão geral do caminho a ser percorrido. É preciso estar alinhado à realidade palpável de cada pessoa, família ou empresa”, explica Tathiane.

Por exemplo: se a meta é comprar uma casa, você precisa de um valor X. Como vai alcançar esse montante? Defina os meios para chegar à realização desse projeto. 

MUDE SEUS HÁBITOS

Em vez de sair gastando, procure prever os gastos diários, mensais, a curto prazo, a longo prazo e a fazer reservas para emergências. “Hábitos de consumo imediatista dificultam esse processo. Compre somente o necessário, sem acumular. Procure pagar à vista”, orienta Maiara. São pequenas atitudes que potencializam  a mudança.

PLANILHA DE CONTROLE

Encontre a melhor forma para o seu controle. “Pode ser agenda, planilha de Excel, bloco de notas: o importante é documentar e registrar tudo, desde um gasto simples até valores altos. Isso ajuda a analisar se está cumprindo os valores estipulados e auxilia a ajustar o orçamento”, diz Maiara.

Uma planilha possibilita um maior controle das entradas e saídas, permite visualizar o progresso, evidencia os erros e aponta os resultados alcançados.

AVALIAÇÃO EM FAMÍLIA

A avaliação permite ver o andamento do que foi planejado, o que deu certo, o que precisa ser corrigido e o que pode ser melhorado. “Faça um balanço semestral, trimestral, bimestral e mensal. Todos são fundamentais para se alcançar com êxito o objetivo traçado”, diz Tathiane.

A reunião familiar é uma “ótima opção para compartilhar a realidade financeira de forma clara e objetiva. A vida financeira diz respeito a todos os integrantes da casa”, recomenda Maiara.

“Imprevistos e obstáculos sempre surgem no percurso, mas é essencial não perder de vista o que foi planejado e, apesar das dificuldades, nunca desistir”, afirma Priscila Guskuma, mentora de estratégia de negócios.

NOVOS COMPORTAMENTOS

Com um planejamento financeiro, é possivel sair da zona de conforto, estabelecer mudanças concretas, afastar a procrastinação e aumentar a produtividade. No entanto, para alcançar os resultados, é imprescindível determinar novos comportamentos, ter comprometimento e, sobretudo, romper com os antigos costumes e criar novos hábitos.

Tathiane destaca alguns “ladrões” do tempo que impactam na produtividade: “A interrupção, a desorganização, a procrastinação, o telefone celular, as redes sociais são os que mais geram impactos no resultado. Contra esses vilões, é preciso multiplicar as estratégias e a atenção para não perder  o foco estabelecido. A produtividade traz resultados concretos para o seu dia a dia. Afinal, ser produtivo é gastar menos energia e ter mais resultados”, explicou.

A procrastinação é o famoso hábito de deixar para depois algo que pode ou deve ser feito imediatamente. “Muitas pessoas procrastinam por medo de entrar em ação, medo de fracassar, medo da crítica das pessoas. Sempre ficam se mantendo ocupadas com pequenas atividades e sempre deixam para depois o que realmente pode trazer os resultados que desejam”, afirma Priscila.

Disciplina, persistência, propósitos claros e motivadores, prioridades estabelecidas com clareza, planejamento traçado em etapas, força de vontade do início ao fim são os meios para deixar de procrastinar.

O que acontece, é que, por vezes, as pessoas com o passar do tempo, as pessoas vão se distanciando das estratégias do planejamento e, com as dificuldades encontradas no dia a dia, acabam desanimando ou até desistindo. “Independentemente dos percalços do caminho, é preciso agir com coragem e determinação, pautado nas metas e no planejamento traçado, sem perder o foco”, explicou Priscila.

“Ser produtivo não significa trabalhar 24 horas por dia, mas trabalhar de maneira inteligente, aproveitando bem o tempo, as oportunidades para alcançar o desejado. É preciso focar o resultado sem perder a qualidade de vida”, orienta Tathiane Deândhela.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter