Enfermeira vencedora de prêmio internacional afirma que a fé católica influenciou seu trabalho no país

Em uma escola na área de Turbi, no norte do Quênia, as crianças saem das salas de aula e dão lugar aos pais, que estão aprendendo a ler. Quase 80% da população da região é analfabeta, mas a Turbi Pioneer School, primeira escola da localidade, está provocando mudanças e fazendo com que as crianças, de fato, aprendam. Os pais, por sua vez, estão se dedicando e aprendendo a escrever seus nomes, fazer contas simples ou até mesmo salvar números em seus telefones celulares. 

Enfermeira vencedora de prêmio internacional afirma que a fé católica influenciou seu trabalho no país, Jornal O São Paulo
Qabale Duba Fundation

Este é o trabalho de Anna Qabale Duba, 31, mãe católica de dois filhos e enfermeira profissional, que ganhou o prêmio internacional Aster Guardians Global Nursing, no dia 12. 

Anna, que trabalha no hospital de referência do governo na cidade de Marsabit, no norte do Quênia, recebeu o prêmio de 250 mil dólares em um evento em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, no Dia Internacional da Enfermeira. 

"Dediquei este prêmio à paz em minha região", disse Anna. "Os católicos são pela humanidade e pela paz. Isso também influenciou o que faço." 

"Meu foco é a educação. Sou quem sou hoje porque me formei", afirmou Anna, que é a fundadora da escola pioneira de Turbi, e espera aumentar o trabalho contra o analfabetismo com o prêmio em dinheiro que ganhou. 

"Muitas vidas teriam sido salvas se houvesse instalações de saúde. Perdi muitos familiares. Isso me inspirou a querer ajudar meu povo", disse. 

Ela também fez campanha contra práticas culturais prejudiciais, como mutilação genital feminina e casamentos precoces de meninas e crianças na comunidade. Quase todas as meninas em Turbi foram submetidas à mutilação aos 12 anos, e Anna disse que passou por isso. “Sendo enfermeira e tendo visto o que essas mulheres passam ao dar à luz, decidi lutar contra isso”, disse ela, explicando que a iniciativa envolve a todos, com padres e xeiques falando contra as práticas nocivas. "Os casamentos precoces ainda existem, mas estou dizendo à comunidade que levem suas filhas à escola, porque a escola atrasa esses casamentos", acrescentou Anna, a primeira mulher de sua aldeia a obter um diploma universitário.

Os programas da fundação criada por ela incluem o fornecimento de suprimentos sanitários e roupas íntimas; o oferecimento de programas de orientação, incluindo a visita de palestrantes motivacionais às escolas; e programas sobre maternidade segura, em que a fundação treina parteiras tradicionais em partos seguros e as exorta a defender partos hospitalares. Também luta contra a mutilação genital feminina e os casamentos precoces, e promove iniciativas de paz. 

Fonte: Catholic News Service 

Deixe um comentário