Seminaristas e candidatos ao diaconato recebem ministérios de leitor e acólito

Cardeal Odilo Scherer, com seminaristas e candidatos ao diaconato permanente que receberam os ministérios de leitor e acólito (foto: Luciney Martins/ O SÃO PAULO)

O Cardeal Odilo Pedro Scherer presidiu, na Catedral da Sé, missa do domingo, 1º, que marcou a abertura do Mês Vocacional na Arquidiocese de São Paulo.

Na celebração, o Arcebispo conferiu os ministérios de leitor e acólito a um grupo de seminaristas e de candidatos ao diaconato permanente. Esse rito é uma das etapas do processo formativo dos futuros ministros ordenados da arquidiocese de São Paulo. 

A Eucaristia foi concelebrada por padres formadores do Seminário Arquidiocesano e da Escola Diaconal São José.

LEIA TAMBÉM:
Promover as vocações é missão de toda a comunidade eclesial

Cristo sacerdote

Na homilia, Dom Odilo ressaltou que, no primeiro domingo de agosto, recorda-se a vocação dos padres. “A nossa Igreja Católica não vive sem sacerdotes. Cristo é o único e indispensável sacerdote. Mas, por sua vontade, escolheu colaboradores, homens aos quais conferiu a autoridade para exercer em seu nome o serviço sacerdotal, de pastores e anunciadores da palavra de Deus, animadores da comunidade na fé, na esperança e na caridade. 

Em seguida, o Cardeal afirmou que toda a Igreja é convidada a rezar pelas vocações, seguindo a recomendação do próprio Jesus, que disse: “Pedi ao Senhor da messe que envie operários”.

O Arcebispo reforçou o apelo que tem feito a todas as paróquias e comunidades, para que promovam o despertar vocacional. “Seria tão importante que todas as famílias católicas, comunidades e organizações da Igreja zelassem pelas vocações, quer pela oração, quer pelo estímulo e apoio concreto, para que em cada comunidade surjam vocações”, afirmou.

(foto: Luciney Martins/ O SÃO PAULO)

Ministérios

Esses ministérios têm a sua origem nas antigas “ordens menores”, recebidas pelos candidatos ao sacerdócio antes da ordenação diaconal. A partir da reforma promulgada por São Paulo VI em 1972, o leitorato e o acolitato podem ser conferidos de forma estável também a homens leigos e, a partir de janeiro de 2021, o Papa Francisco os estendeu às mulheres.

O leitor é instituído no serviço da mesa da Palavra, onde de forma oficial proclama as leituras das celebrações (exceto o Evangelho); a ele também é conferida a missão de organizar a catequese e orientar o povo e sua participação na assembleia.

O acólito é instituído no serviço da mesa da Eucaristia, auxiliando o diácono e servindo o sacerdote; auxilia os ministros extraordinários da comunhão eucarística e os substitui quando necessário, bem como ajuda na sua formação.

Servir o pão de Deus

Referindo-se ao Evangelho do dia, no qual Jesus afirma ser o “pão descido do céu”, Dom Odilo sublinhou que, ao receber os ministérios de leitor e de acólitos, os candidatos às ordens sacras são instituídos para servir mais de perto à mesa da Palavra e da Eucaristia.

“Sirvamos com generosidade este pão de Deus para o seu povo. Recebemos esse ministério como uma graça, um dom, para o serviço. Procuramos desempenha-lo sempre com alegria, com gratidão, com profundo senso de fé e responsabilidade em relação ao povo de Deus”, exortou o Cardeal, acrescentando que não deve faltar ao povo “o genuíno pão do Evangelho, da instrução cristã e da catequese”.  

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter