Um incentivo aos jovens para ampliarem saberes no universo tecnológico

Moradores da periferia, eles são apoiados pela Pastoral do Menor da Arquidiocese e participam do programa ‘Academia Digital’, mantida pela Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Município de São Paulo (PRODAM)

Um incentivo aos jovens para ampliarem saberes no universo tecnológico, Jornal O São Paulo
Na ‘Academia Digital’, a Prodam oferta os cursos, a Pastoral do Menor mobiliza os jovens a participar e o Bompar oferece a estrutura física
Fotos: Pastoral do Menor da Arquidiocese de São Paulo

Em julho deste ano, a Pastoral do Menor da Arquidiocese de São Paulo firmou parceria com a Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Município de São Paulo (Prodam), ligada à Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (SMIT). 

A parceria visa a oferecer aos jovens assistidos pela Pastoral cursos on-line e qualificação em tecnologia e inovação, por meio da “Academia Digital”, programa de capacitação digital da Prodam. 

O projeto será implantado em todas as regiões da capital paulista onde houver organizações sociais ligadas à Pastoral do Menor.

“Estamos localizados nos pontos periféricos da cidade, sendo a presença da Igreja Católica no atendimento a crianças, adolescentes e jovens vulnerabilizados por ausência de políticas públicas”, disse ao O SÃO PAULO Sueli Camargo, coordenadora da Pastoral do Menor da Arquidiocese. 

Sueli afirmou, ainda, que “a iniciativa possibilita ao jovem uma formação intelectual de forma a viabilizar sua reinserção na sociedade e, eventualmente, no mercado de trabalho”, e, para que isso ocorra, “o apoio institucional é imprescindível e deve oferecer formação, conhecimento e liberdade para inovar”. 

À reportagem, Johann Dantas, CEO da Prodam, garantiu que o programa “traz um despertar para o jovem”. Ele explicou ainda que o projeto tem uma proposta de letramento digital. 

“Ele parte do básico, que é para contextualizar o que, muitas vezes, julgamos ser algo simples e que acreditamos que todo mundo sabe, mas, na verdade, muitos alunos desconhecem”, disse Dantas. 

“Estou falando de coisas como co- piar e colar no computador de diferentes maneiras ou mexer em uma planilha de forma mais intuitiva. Tudo isso acaba ajudando muito o jovem”, acrescentou. 

PROJETO PILOTO 

Desde agosto, a iniciativa está em andamento como projeto piloto no Centro de Capacitação Profissional Henry Ford Multimarcas, unidade de atendimento do Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto (Bompar), organização ligada à Igreja Católica. 

O Centro Henry Ford, localizado em São Mateus, na zona Leste da capital, atende jovens e adultos com idades entre 15 e 59 anos. 

“Essa primeira organização beneficiada está localizada na periferia de São Paulo, onde a população é esquecida e, ao mesmo tempo, esse centro possui estrutura tecnológica e conhecimento histórico no atendimento do público a ser atingido”, relatou Sueli. 

Na unidade, são oferecidos cursos de capacitação profissional no segmento automotivo e de gestão e negócios. O programa da Prodam está sendo ofertado para todos os educandos matriculados em qualquer período (manhã, tarde ou noite) de funcionamento da instituição. 

“Estão sendo beneficiados 320 jovens e adultos, moradores prioritariamente da região de São Mateus”, contou Andreia Alves, coordenadora do Centro Henry Ford. 

“O projeto-piloto oferta cursos na plataforma EAD da Prodam, a ‘Academia do Saber’, na qual os educandos podem fazer diversos cursos no Letramento Digital e futuramente em outras áreas da tecnologia”, acrescentou. 

Também está prevista a realização de palestras motivacionais e treinamentos ministrados por colaboradores da Prodam. 

Andreia explicou como tem sido na prática a parceria entre as instituições envolvidas no projeto. “A Prodam faz a oferta dos cursos e suporte técnico, a Pastoral do Menor é a articuladora nas Organizações Sociais, e o Bompar disponibiliza a estrutura física e humana para realizar os cursos.” 

Um incentivo aos jovens para ampliarem saberes no universo tecnológico, Jornal O São Paulo

IMPRESSÕES DOS BENEFICIADOS 

Apesar do pouco tempo que a formação foi iniciada, o projeto-piloto está sendo bem avaliado pelos estudantes do curso de Gestão e Negócio do Centro Henry Ford. 

“Sinto que estou me preparando mais para o mercado de trabalho. [A plataforma] tem facilidades e flexibilidade, uma forma interativa de estudos. Os vídeos e os formulários disponíveis nos testam no dia a dia”, disse Gabriel B. da Silva, 16. 

Yndaiara S. de Oliveira, 17, pretende incluir em seu currículo os cursos aos quais está tendo acesso. “Os vídeos são bem didáticos. Ótimo para quem não entende muito de informática e bom também para quem já tem um entendimento e pode conhecer outras partes mais importantes.”

Filipe Daniel de L. Spozato, 17, contou que o projeto o tem ajudado muito. “Ele deixa o meu conhecimento em geral mais versátil, acredito que isso possa me ajudar no mercado de trabalho, pois traz conhecimentos que abrangem diversas profissões nas áreas de contabilidade, TI (tecnologia da informação) e administrativo.” 

Luciana de Jesus Decerchio, 44, avalia que está sendo uma oportunidade única de muito aprendizado. “Está sendo de muita importância, pois aprendi coisas que não aprendi em escola alguma. É um conteúdo completo de forma fácil e acessível. Uma oportunidade sem custo nenhum.” 

Um incentivo aos jovens para ampliarem saberes no universo tecnológico, Jornal O São Paulo

PERSPECTIVAS 

A Prodam pretende ampliar o alcance do projeto. “A ideia é chegarmos a um número maior de beneficiados, na base de mil jovens atendidos simultaneamente. Temos infraestrutura para isso”, comentou Dantas, lembrando que para isso a empresa conta com o “trabalho sério e de cuidado” da Pastoral do Menor e do Bompar. 

O objetivo da empresa está alinhado com as necessidades dos educandos assistidos pela Pastoral e as organizações ligadas a ela. 

“A inserção no mundo da tecnologia se faz necessária, e boa parte da população atendida pela Pastoral do Menor não teria esta oportunidade se não fosse por este novo projeto”, comentou Sueli. 

“Acreditamos neste projeto como instrumento de transformação e sabemos da importância de fortalecer ações que contribuam para a obtenção de conhecimento em níveis mais altos de aprendizagem possíveis, para dar continuidade na qualificação educacional das crianças, adolescentes e jovens”, acrescentou a coordenadora da Pastoral do Menor. 

“A Pastoral tem a função de sensibilizar, motivar e mobilizar os vários segmentos da Igreja, sociedade e do poder público para adoção de posturas e ações efetivas, como essa iniciativa em favor da defesa dos direitos da criança e do adolescente”, concluiu Sueli. 

Deixe um comentário