‘Dom Cláudio nunca se esqueceu do povo da rua’, afirma Padre Julio Lancellotti

‘Dom Cláudio nunca se esqueceu do povo da rua’, afirma Padre Julio Lancellotti
Foto: Arquivo pessoal

Durante o velório do Cardeal Cláudio Hummes, na Catedral da Sé, o Padre Julio Lancellotti, Vigário Episcopal para a Pastoral do Povo da Rua da Arquidiocese de São Paulo, destacou o Arcebispo Emérito de São Paulo, falecido na segunda-feira, 4, nunca se esqueceu das necessidades da população mais pobre da cidade, inclusive no período da pandemia de COVID-19.

“Durante toda a pandemia, especialmente nos momentos mais críticos, os procuradores da Mitra Arquidiocesana de São Paulo sempre me telefonavam para informar que estavam efetuando um depósito [bancário] para a Pastoral do Povo da Rua em nome de Dom Cláudio”, contou Padre Julio, enfatizando que as doações eram tiradas dos recursos pessoais Cardeal Hummes e acrescentou que, em muitas dessas ocasiões, ele mandava avisar que o dinheiro era “para alimentar o povo da rua”.  

Um grupo de representes da população em situação de rua estavam na Catedral da Sé para se despedir de Dom Cláudio, com flores depositadas junto aos seus restos mortais. Alguns desses afirmavam diante do corpo do cardeal: “Ele nos deu de comer muitas vezes”.

‘Dom Cláudio nunca se esqueceu do povo da rua’, afirma Padre Julio Lancellotti
Foto: Arquivo pessoal

“Foram muitos os momentos em que o Cardeal Hummes esteve presente na vida do povo da rua, como no massacre de 2004, quando ele andou pelas ruas do centro de São Paulo carregando a cruz dos moradores de rua. Ele me acompanhou nos hospitais para visitar os que sobreviveram”, sublinhou o Vigário Episcopal, lembrando, ainda, as ocasiões em que o então Arcebispo interveio em rebeliões da antiga Febem (hoje Fundação Casa) e em situações de violência contra a população mais vulnerável. “Eu o acompanhei em audiências com as autoridades, sempre na defesa da população de rua, dos jovens privados de liberdade, dos mais pobres.  

Deixe um comentário