Apelo do Papa pela paz entre israelenses e palestinos

Francisco acompanha com “grande preocupação” as violências na Terra Santa nestes dias e apela para aqueles que têm papéis de “responsabilidade” a fim de fazer cessar o ribombar das armas. O Santo Padre também expressa seu pesar pelos confrontos entre árabes e judeus nas cidades israelenses e define “inaceitável” o assassinato de crianças

Reprodução

Um premente apelo às partes em conflito e a quem tem a responsabilidade de fazer cessar o ribombar das armas, e uma exortação a rezar para que israelenses e palestinos possam buscar o caminho para a paz. Após o Regina Caeli do domingo, 16, o Papa se deteve longamente sobre a dramática escalada da violência no Oriente Médio:

“Acompanho com grande preocupação o que está acontecendo na Terra Santa. Nestes dias, violentos confrontos armados entre a Faixa de Gaza e Israel se impuseram, e correm o risco de degenerar em uma espiral de morte e destruição. Numerosas pessoas foram feridas e muitos inocentes morreram. Entre eles estão as crianças, e isto é terrível e inaceitável. A morte delas é sinal de que não se quer construir o futuro, mas se quer destruí-lo.

Fraternidade em Israel ferida

O Pontífice expressou sua preocupação também com a escalada das tensões nas cidades israelenses:

“Além disso, o aumento de ódio e violência que está envolvendo várias cidades em Israel é uma ferida grave para a fraternidade e a convivência pacífica entre os cidadãos, que será difícil de curar se não houver uma abertura imediata para o diálogo. Eu me pergunto: aonde o ódio e a vingança vão levar? Pensamos realmente que podemos construir a paz destruindo o outro? ‘Em nome de Deus que criou todos os seres humanos iguais em direitos, deveres e dignidade, e os chamou a viverem juntos como irmãos e irmãs entre si” (cf. Documento sobre a Fraternidade Humana) apelo à calma e, àqueles que têm responsabilidade para tal, a fazer cessar o ribombar das armas e a percorrer os caminhos da paz, também com a ajuda da comunidade internacional.

O caminho do diálogo

A exortação é a rezar, especialmente pelas crianças que são vítimas do conflito:

“Rezemos incessantemente para que israelenses e palestinos possam encontrar o caminho do diálogo e do perdão, para serem pacientes construtores de paz e justiça, abrindo-se, passo a passo, a uma esperança comum, a uma coexistência entre irmãos. Oremos pelas vítimas, especialmente pelas crianças; oremos pela paz à Rainha da Paz. Ave Maria…”

(Com informações de Vatican News)

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter