Celam e Cáritas pedem mais solidariedade pelas populações atingidas por catástrofes

Desastres naturais têm assolado os moradores de alguns países da América Latina e no Caribe

Foto: Celam

A Presidência do Conselho Episcopal Latino-americano (Celam) e a Cáritas da América Latina e do Caribe divulgaram carta dirigida às Conferências Episcopais da região, que foi duramente atingida por diversos furacões no mês de novembro, situação agravada pela pandemia do novo coronavírus. 

A carta, intitulada “Um chamado à solidariedade com as vítimas dos furacões e da pandemia na América Central”, expressa os sentimentos de solidariedade e proximidade do Celam e da Cáritas a “todos os nossos irmãos e irmãs que viveram e continuam vivendo o impacto da situação desoladora gerada pelo COVID-19 e, de maneira particular, às populações da América Central e do Arquipélago de Santo André e Providência, no Caribe colombiano, que foram duramente golpeadas por dois furacões consecutivos durantes este mês de novembro”.

CLIQUE A ÍNTEGRA DA MENSAGEM EM ESPANHOL

Os signatários, entre os quais o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, lembraram os números da tragédia causada pelos furacões: na Guatemala, Honduras e Nicarágua, mais de 5.3 milhões de pessoas foram afetadas, 330 mil estão vivendo em albergues e 171 faleceram, sem contar os danos materiais e econômicos.

A manifestação do Papa Francisco no Angelus de 8 de novembro, na Praça de São Pedro, foi também lembrada pela carta. O Pontífice recordou as populações atingidas e animou a Igreja a fazer todo o possível para ajudar os que sofrem.

Oração a atenção

Os Bispos exortaram as Conferências Episcopais da América Latina e do Caribe a convocarem os fiéis para um dia de oração pela região, que ocorrerá em 12 de dezembro, Dia de Nossa Senhora de Guadalupe, Padroeira da América.

Os Prelados recordaram a ação das Cáritas nacionais em acompanhar de perto, junto às dioceses, vicariatos, paróquias e agentes de pastoral, a população atingida, a fim de “dignificar as condições de vida de milhares de pessoas e famílias nestes momentos de dor”.

A carta incentiva campanhas de solidariedade, com o objetivo de dar apoio econômico e urgente, para que as Cáritas possam “atender as pessoas mais vulneráveis e afetadas por esta crise sanitárias e pelo desastre ocasionado pelos furacões”.

Ao fim, os Bispos pediram esforços redobrados das Conferências Episcopais para atender as necessidades espirituais e materiais dos que sofrem, pois é “uma ação que parta da dimensão da caridade e do espírito de comunhão da Igreja em nosso continente”.

Com informações do Celam

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter