COVID-19: ONU planeja que nos países ao menos 40% da população seja vacinada até o fim de 2021

Nas Américas, OPAS ampliou parcerias para fornecer vacinas. Apesar da queda nos registros da doença, 24 mil mortes ocorreram no continente na semana passada em decorrência do novo coronavírus

Foto: OPAS

Em anúncio conjunto na quinta-feira, 7, a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) apresentaram uma nova Estratégia de Vacinação Global contra a COVID-19.

A meta é que até o fim deste ano, 40% da população em todos os países estejam vacinadas contra o coronavírus. Para que o plano seja colocado em prática, são necessários 18 bilhões de dólares. Há ainda o objetivo de que a vacinação alcance 70% da população de todos os países até meados de 2022.

“Com a produção de vacinas agora em quase 1,5 bilhão de doses por mês, podemos alcançar 40% das pessoas em todos os países até o fim do ano”, assegurou o secretário-geral da ONU, António Guterres.

“Cabe aos Estados-membros unir-se e fazer o que for necessário para que a estratégia seja bem-sucedida”, afirmou Guterres, que tem incentivado um plano de vacinação global, a ser implementado por uma força tarefa de emergência em conjunto com países produtores de vacinas, com a OMS, parceiros da plataforma de vacinação Covax, instituições financeiras mundiais e companhias farmacêuticas.

Guterres acrescentou que os países do G20 terão uma “oportunidade”, na cúpula do bloco em 30 e 31 de outubro, em Roma, de realizar a vontade declarada de vacinar todo o mundo.

Nas Américas

Em coletiva de imprensa na quarta-feira, 6, a  diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne, ressaltou que as infecções por COVID-19 diminuíram em geral nas Américas na semana passada, mas “as tendências locais continuam preocupantes”.

A diretora também anunciou que a OPAS fechou acordos adicionais com AstraZeneca, Sinopharm e Sinovac para facilitar o acesso às vacinas contra a COVID-19 na América Latina e no Caribe. As vacinas autorizadas da Lista de Uso Emergencial da OMS serão disponibilizadas aos países neste ano e em 2022.

Abordando a trajetória da COVID-19 nas Américas nesta semana, Etienne observou que os casos diminuíram nos Estados Unidos e Canadá, mas aumentaram no México.

Enquanto os casos diminuem no Caribe, Cuba e Bermuda continuam notificando altas taxas de novas infecções e Barbados viu os casos aumentarem em quase 75% na última semana.

Embora os casos estejam, em geral, diminuindo na América Central, a Costa Rica continua apresentando altas taxas de hospitalização e uso de leitos na UTI. As hospitalizações também aumentaram em dois terços em Belize.

Na América do Sul, os casos estão diminuindo em muitos países, mas aumentando no Chile, onde o crescimento é causado principalmente por surtos em centros urbanos.

Na última semana, quase 1,2 milhão de casos de COVID-19 e 24 mil mortes relacionadas foram notificados nas Américas.

Fontes: Agência Brasil e OMS

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter