Em assembleia extraordinária, Celam avança no processo de restruturação

Membros da presidência do Celam – registro fotográfico anterior à pandemia de COVID-19

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, viajou para o México, na terça-feira, 13, para uma série de reuniões do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam), do qual ele é 1º Vice-presidente. 

O principal assunto desses encontros é o processo de restruturação da entidade. Nos dias 20 e 21, haverá uma assembleia extraordinária para tratar das questões econômicas e da renovação dos estatutos do Conselho.

A proposta de uma nova estrutura do Celam foi aprovada durante sua 38ª Assembleia Geral Ordinária, realizada virtualmente entre os dias 18 e 21 de maio. A restruturação é resultado de um processo iniciado em 2019. A equipe responsável realizou uma série de reuniões e consultas às conferências episcopais, organismos eclesiais continentais e dicastérios da Santa Sé, que contribuíram no discernimento e reflexões sobre a nova proposta.

Renovação

Na ocasião da Assembleia Geral, o Arcebispo de São Paulo salientou que o processo de restruturação do Conselho diz respeito, antes de tudo, à renovação do próprio organismo eclesial e, portanto, não significa uma proposta de restruturação da Igreja no continente.

“A estrutura anterior, dos departamentos, imitava um pouco o que era a atribuição das conferências episcopais. Por isso, o Celam fazia muitas coisas que são próprias das dioceses e acabava não realizando o que realmente era necessário.”

Dom Odilo detalhou, ainda, que, na proposta de restruturação, além das quatro regiões subcontinentais – América Central e México; Países do Caribe; Países Bolivarianos; Cone Sul –, será acrescida a Região Pan-Amazônica, cujas características especiais foram evidenciadas no Sínodo para a Amazônia, em 2019.

“Em cada uma dessas regiões, há características que aproximam cultural e historicamente os países que delas tomam parte. E também há maior proximidade entre as Igrejas dessas respectivas regiões. O Celam, com suas novas características, procurará seguir com atenção e discernimento as realidades desses grupos de países, em vista do estímulo à realização eficaz da missão da Igreja.”

Centros pastorais 

A nova estrutura prevê a formação de quatro centros pastorais que funcionarão como eixos fundamentais de atuação do Celam, em vez dos antigos departamentos que compunham a entidade. Esses centros trabalharão de forma integrada e articulada.

O Centro do Conhecimento terá a missão de “analisar, a partir de uma pastoral discernida, a complexa realidade da nossa região”.  O Centro de Formação Bíblico-Teológico Pastoral para a América Latina e o Caribe, que já existe, assumirá cada vez mais a missão de promover processos formativos de âmbito pastoral.

O Centro para Programas e Redes de Ação Pastoral estará a serviço das conferências episcopais para orientação pastoral e intercâmbio de experiências entre essas conferências por meio de redes temáticas e territoriais.

Por fim, o Centro de Comunicação, dedicado a promover uma comunicação eficaz entre as conferências episcopais, atenta às novas tecnologias e processos comunicacionais.

Estatuto 

Para a elaboração do novo estatuto, existe uma comissão que trabalha desde novembro de 2020 com o auxílio de uma comissão jurídica. 

De acordo com o coordenador dessa comissão, Padre Marcelo Gidi, os princípios orientadores da reforma – eclesialidade, comunhão, colegialidade e sinodalidade – devem se concretizar em serviços ágeis e simplificados, com estruturas descentralizadas.

Serviço subsidiário da Igreja na América Latina

Bispos durante 1ª Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano (foto: Celam)

Fundado em 1955 pelo Papa Pio XII, a pedido dos bispos da América Latina e do Caribe, o Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) é um organismo eclesial de comunhão, formação, pesquisa e reflexão a serviço das conferências episcopais. Seus dirigentes são eleitos a cada quatro anos por uma assembleia ordinária. A sede da entidade está localizada em Bogotá, na Colômbia.

Atualmente, o Presidente do Celam é Dom Miguel Cabrejos Vidarte, Arcebispo de Trujillo, no Peru; o 1º Vice-Presidente é o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo; o 2º Vice-Presidente é o Cardeal Leopoldo José Brenes Solórzano, Arcebispo de Manágua, na Nicarágua; e o Secretário-Geral é Dom Jorge Eduardo Lozano, Arcebispo de San Juan de Cuyo, na Argentina.

“O Celam é um conselho que está a serviço das conferências episcopais do continente, um serviço subsidiário, ou seja, não é o Celam que coordena as conferências episcopais e as dioceses”, destacou dom Odilo, na ocasião da última  Assembleia Geral da entidade.

As iniciativas de maior relevância do Celam foram as cinco conferências gerais do Episcopado da América Latina e do Caribe: Rio de Janeiro (1954); Medellín, na Colômbia (1968); Puebla, no México (1979); Santo Domingo, na República Dominicana (1991); e Aparecida (2007).

“Essas conferências gerais, com a participação de bispos representantes de todas as conferências episcopais dos países-membros do Celam, sempre foram convocadas pelo Papa e ajudaram a moldar o rosto da Igreja pós-conciliar na América Latina e a história de sua atuação no Continente, em cada época sucessiva a elas”, explicou o Cardeal Scherer.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter