Irmã Agustina, missionária peruana e testemunha do martírio, é beatificada

“Ontem, em San Ramón, a Irmã María Agustina Rivas López, conhecida como Aguchita, freira da Congregação de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor, assassinada por ódio à fé, em 1990, foi beatificada”, recordou o Papa Francisco, após a oração do Regina Coeli, no domingo, 8. “Embora consciente de que estava arriscando sua vida, esta heroica missionária sempre permaneceu perto dos pobres, especialmente mulheres indígenas e camponeses, testemunhando o Evangelho da justiça e da paz. Que seu exemplo desperte em todos o desejo de servir a Cristo com fidelidade e coragem”, concluiu. 

Irmã Agustina, missionária peruana e testemunha do martírio, é beatificada
Vatican Media

A beatificação aconteceu no sábado, 7, em La Florida, no Vicariato Apostólico de San Ramón, no mesmo local onde a freira foi assassinada. A cerimônia foi presidida pelo Cardeal Baltazar Enrique Porras Cardozo, Arcebispo de Mérida e Administrador Apostólico de Caracas, na Venezuela, e contou com a presença de milhares de fiéis. 

O QUE SE APRENDEU 

“O martírio da Irmã Agustina tem vários aspectos que merecem ser considerados”, destacou Dom Cardozo na homilia. “Em primeiro lugar, o absurdo da violência, do crime, da injustiça, da maldade das ideologias para as quais a vida humana não conta. O uso indiscriminado de armas deixa apenas morte e devastação em seu rastro, e não resolve os problemas reais da convivência humana.” 

O Cardeal Cardozo recordou o trecho evangélico, sublinhando que “na Irmã Agustina se fez presente o Evangelho do Bom Pastor, proclamado nesta Eucaristia. Boa pastora, Agustina deu a vida por suas ovelhas… Hoje, celebramos o triunfo da vida sobre a morte e enfrentar o desafio pascal de ser discípulos e missionários apaixonados por aprender e ensinar a viver”. 

Fontes: Catholic News Service e Agência Fides 

Deixe um comentário