Missionárias da Caridade expulsas por Daniel Ortega deixam a Nicarágua

O governo do presidente da Nicarágua Daniel Ortega, no poder há 15 anos, executou ontem (6) a expulsão de 18 Missionárias da Caridade do país centro-americano. Segundo o jornal El Confidencial, as freiras foram levadas pela Direção Geral de Migração e Imigração e pela Polícia, de Manágua e Granada, até a fronteira com a Costa Rica.

Missionárias da Caridade deixam a Nicarágua / Padre Sunil Kumar Adugula

Entre as freiras há sete indianas, duas mexicanas, uma espanhola, duas guatemaltecas, uma equatoriana, uma vietnamita, duas filipinas e duas nicaraguenses. Segundo a agência de notícias EFE, a dissolução das Missionárias da Caridade e de outras 100 organizações na Nicarágua foi aprovada pela assembleia em 29 de junho em caráter “urgente” e, portanto, sem debate. A Assembleia Nacional, órgão legislativo da Nicarágua, é controlada pela Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN), liderada por Ortega.

O bispo de Tilarán-Liberia, Costa Rica, acolheu as Missionárias da Caridade em sua diocese. “É uma honra para nossa diocese de Tilarán – Liberia que seus pés pisem nestas terras”, escreveu o bispo em sua conta no Facebook.

“Rezamos pela Igreja na Nicarágua, por seus bispos, padres, religiosos e religiosas. Irmãs, sejam bem-vindas a estas terras, a nossa diocese está de portas abertas para recebê-las, obrigado pelo seu exemplo, entrega e serviço aos mais pobres dos pobres”, disse ele. “Santa madre Teresa de Calcutá, continue intercedendo por suas intenções. Viva Cristo Rei!”

Guerra da ditadura de Ortega contra a Igreja na Nicarágua

A advogada Martha Patricia Molina Montenegro, membro do Observatório Pró Transparência e Anticorrupção, disse à ACI Prensa, agência em espanhol do grupo ACI, que “a ditadura” de Daniel Ortega e sua mulher, Rosario Murillo, “se caracteriza por conceder nacionalidade a estrangeiros acusados ​​em seus próprios países de serem criminosos e expulsa pessoas honradas que são cidadãos da Nicarágua”.

Montenegro também denunciou que “a ditadura tem uma guerra frontal contra a Igreja Católica da Nicarágua e seu objetivo é eliminar completamente todas as instituições relacionadas à Igreja”. Nesse sentido, “a expulsão das Irmãs da Caridade é mais uma ilegalidade deste regime que está protegido por leis que têm sido denunciadas pela sociedade civil e pelos cidadãos como inconstitucionais”.

Sobre os idosos de que as freiras cuidavam, Montenegro disse à ACI Prensa que “também foram expulsos do asilo, mas elas se encarregaram de que ficassem em boas mãos e não como a ditadura queria, que voltassem desamparados para as ruas”. “É provável que o prédio onde ficava o asilo seja confiscado pela ditadura, como aconteceu com os prédios de outras organizações sem fins lucrativos”, disse.

Fonte: ACI Digital

4 comentários em “Missionárias da Caridade expulsas por Daniel Ortega deixam a Nicarágua”

  1. Nossa Sra de La Sallete, Fatima, Carmo de Guarabandal, Akita e Medjugorje, nos avisaram e continuam avisando, pra dizermos NÃO!!!! AO COMUNISMO, ABORTO E TDS AS IDEOLOGIAS DANOSAS A VIDA HUMANA E A FAMILIA. FORA PT, FORA O COMUNISMO NO BRASIL. SOMOS DA IMACULADA!

    Responder

Deixe um comentário