Natal na Terra Santa não terá presença de peregrinos

Local do nascimento de Jesus, em Belém, segundo a tradição cristã (reprodução da internet)

O Custódio da Terra Santa, Frei Francesco Patton, afirmou que o Natal nos lugares santos da vida de Jesus será sem peregrinos, “mas com uma presença significativa dos cristãos locais”.

A declaração foi feita durante um discurso no encontro on-line sobre “O Natal na Terra Santa entre a pandemia e a esperança”, promovido pelo Comissariado da Terra Santa do Norte da Itália e pelo portal Terrasanta.net, conforme informou a agência de notícias SIR.

“Quando, há 2 mil anos, Maria e José chegaram a Belém para se registrar, eles não conseguiram encontrar um lugar porque os hotéis estavam lotados. Se viessem hoje não encontrariam lugar porque os hotéis estão fechados”, acrescentou Patton, afirmando que os cristãos de Belém nestes meses de pandemia demonstraram amor pela Basílica da Natividade e uma presença comovente pelas liturgias semanais. “Também neste Natal os fiéis locais serão os protagonistas em torno da manjedoura onde Jesus nasceu”.

Sobre as próximas celebrações de Natal em Belém e as restrições para conter o contágio da COVID-19, o Custódio disse que, na Palestina não existem regras muito rígidas.

“De nossa parte, pedimos que sejam respeitadas três regras: distância, uso de máscaras e higienização das mãos na entrada de igrejas. Para as liturgias de Natal, prevemos também a medição da temperatura nas entradas”, destacou o Franciscano.

Patton informou, ainda, que, em Belém, cerca de 50% da população já contraiu a COVID-19. “Por esse motivo, muitos afirmam ter uma vida mais normal e provavelmente não desistirão das missas de Natal. Eles não aceitarão ser privados do Natal, mesmo que o exército seja usado para os rituais de checagem”, observou.

Missa do Natal

O Custódio também confirmou a ausência do presidente palestino Abu Mazen na missa da meia-noite, como precaução contra o coronavírus, “Em vez disso, estarão presentes cônsules, sacerdotes, religiosos, juntamente com uma delegação de jovens e do conselho pastoral paroquial, que representa os vários fiéis da comunidade eclesial”, explicou.

Já em Israeal, onde as regras contra a COVID-10 são mais rígidas, atualmente, é prevista a admissão de apenas 10 fiéis nas igrejas.

Basílica da Natividade, em Belém (Reprodução da internet)

“Como chefes de Igrejas locais, pedimos um critério de proporcionalidade, porque uma capela de 10 metros quadrados não pode ser comparada com igrejas como a Natividade ou a Anunciação de Nazaré onde os espaços são enormes e podem conter mais fiéis”, salientou o Patton.

Israel tem mais de 370 mil casos confirmados e mais de 3 mil mortes pela Covid-19 desde o início da pandemia, segundo monitoramento da universidade americana Johns Hopkins. Na Palestina, foram registrados quase 124 mil casos e 1,1 mil mortes pela doença.  

Patriarcado de Jerusalém

Há duas semanas, um surto de COVID-19 atingiu cerca de 20 clérigos do Patriarcado Latino de Jerusalém, dentre esses, o próprio patriarca, Dom Pierbattista Pizzaballa que, como os demais, estava assintomático e seguindo o isolamento recomendado pelas autoridades sanitárias. 

Nesta terça-feira, o Patriarcado informou que Dom Pizzaballa recebeu autorização oficial do Ministério da Saúde do Estado de Israel para deixar a quarentena e, assim, poderá presidir a celebração de Natal em Belém.

(Com informações de SIR)

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter