No Líbano, vítimas de insegurança alimentar podem subir mais de 25% até abril

Piora da situação nos próximos meses é destaque na primeira análise de segurança alimentar realizada no país; fatores como depreciação da moeda, suspensão dos subsídios e aumento do custo de vida agravam o cenário.

No Líbano, vítimas de insegurança alimentar podem subir mais de 25% até abril, Jornal O São Paulo
Estudo destaca o agravamento da situação de insegurança alimentar após a profunda crise econômica –  Unicef/Fouad Choufany

As Nações Unidas estimam que 2 milhões de pessoas enfrentem atualmente insegurança alimentar no Líbano. Entre janeiro e abril, espera-se que 2,26 milhões de habitantes vivam em fase de “crise” ou ainda pior e precisem de auxílio urgente.

Quase 65% das vítimas serão libaneses. Os restantes seriam sírios vivendo como refugiados no país.

Agravamento

O Programa Mundial da Alimentos PMA,  prevê que a situação piore nos próximos meses.

Agências da ONU estiveram representadas entre os 55 especialistas nacionais que realizaram a  Análise de Insegurança Alimentar Aguda da Classificação Integrada de Fase de Segurança Alimentar, em setembro.

FAO vê quadro sombrio da segurança alimentar no país
FAO vê quadro sombrio da segurança alimentar no país – Unicef/Allessio Romenzi

O estudo destaca o agravamento da situação de insegurança alimentar após a profunda crise econômica de três anos.

Fatores como depreciação da moeda, suspensão dos subsídios e o aumento do custo de vida impedem o acesso das famílias a alimentos suficientes e outras necessidades básicas diárias.

Eficiência

O representante do PMA no Líbano revelou que pessoas que nunca precisaram dependem agora de auxílio. Para Abdallah Alwarda, os dados profundamente preocupantes refletem a terrível situação de muitas pessoas no Líbano.

Já para a representante no país da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, os dados ilustram um quadro sombrio da segurança alimentar no Líbano.

Nora Ourabah Haddad destaca a “necessidade urgente de se transformar os sistemas agroalimentares do país para torná-los mais eficientes, mais inclusivos, mais resilientes e mais sustentáveis”.

Para a FAO, o primeiro estudo do gênero realizado no Líbano é “uma oportunidade única para destacar a importância de se unir esforços de comunidades nacionais e internacionais para fornecer apoio sustentável aos necessitados combinando intervenções humanitárias e de desenvolvimento em abordagem integrada”.

Fonte: ONU

Leia mais
África Ocidental e Central podem atingir recorde histórico de pessoas passando fome

Deixe um comentário