Padre Francisco Jordan, fundador dos Salvatorianos, será beatificado no dia 15

Sacerdote alemão viveu no século XIX; processo de beatificação foi concluído em junho de 2020

por PADRE SAMUEL ALVES CRUZ, SDS (Pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, Setor Vila Mariana, Região Ipiranga)

Rede Salvatoriana

No sábado, 15, acontecerá a beatificação do Padre Francisco Maria da Cruz Jordan, fundador da Sociedade do Divino Salvador – Família Salvatoriana.

Batizado com o nome de João Batista Jordan, ele nasceu em Gurtweil Baden, Alemanha, no dia 16 de junho de 1848. Foi um jovem que, vivendo em seu tempo, se questionava a respeito da falta de fé e comprometimento dos cristãos batizados, que não resistiam às perseguições ao catolicismo. Diante disso, inspirado por Deus, tornou-se padre e pela ação do Espírito Santo, fundou no dia 8 de dezembro de 1881 a Sociedade do Divino Salvador, cuja missão é anunciar Jesus Cristo por todos os modos e meios que a caridade de Cristo inspira. Hoje a Família Salvatoriana é formada por religiosos (padres e irmãos), religiosas e leigos espalhados em mais de quarenta países e nos cinco continentes.

Processo

A beatificação é a primeira etapa dentro do processo de canonização de um cristão. Pela beatificação, a Igreja declara que alguém viveu as bem-aventuranças de Nosso Senhor Jesus Cristo, e, por isso, pode ser testemunho para os demais cristãos batizados.

Depois que a Igreja declara alguém bem-aventurado, dizemos que ele recebe “as honras dos altares”. A sua imagem pode ficar no presbitério e o seu nome pode ser mencionado na oração eucarística da Santa Missa. Após a beatificação, pode ser aberto o processo de canonização, quando há a necessidade da comprovação de um segundo milagre na área médica.

A beatificação do Padre Francisco Jordan é fruto de um processo minucioso de estudo de sua vida e dos seus escritos, juntamente com a análise de uma graça alcançada pela intercessão dele, ocorrida da cidade de Jundiaí (SP), comprovada como um milagre sem explicação racional ou científica, após um processo que contempla o parecer de uma junta de médicos e uma comissão teológica do Vaticano.

O processo foi concluído no dia 19 de junho de 2020, quando o Santo Padre, o Papa Francisco, autorizou a assinatura do decreto do milagre acontecido por intercessão venerável fundador. Pela beatificação do Padre Francisco Jordan, a Igreja reconhece a sua vida e obra como essenciais e atuais para a evangelização no mundo de hoje.

Celebração e comemorações

Para o dia 15 de maio, havia sido planejado uma série de eventos em Roma: além das missas, estavam previstos um concerto e um jantar festivo, além de manifestações culturais e públicas. Vários grupos do Brasil estavam planejando ir em peregrinação para o grande acontecimento. Entretanto, por conta da disseminação da pandemia de COVID-19, a programação precisou ser revista, mantendo apenas a missa de beatificação na basílica de São João de Latrão em Roma e uma missa em ação de graças pela beatificação na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Para que as pessoas possam acompanhar as missas de beatificação e de ação de graças que será realizada em Jundiaí (SP), foi fechado um contrato de transmissão ao vivo com a Rede Aparecida de Comunicação.


Salvatorianos em São Paulo

A beatificação do fundador da Família Salvatoriana, Padre Francisco Jordan, constitui um reconhecimento e legitimação do carisma salvatoriano e uma reafirmação de que o trabalho desenvolvido por toda a Família Salvatoriana, fundada pelo bem-aventurado, continua sendo essencial para a Igreja e para o mundo de hoje.

Para os Salvatorianos no Brasil, com certeza é uma grande graça, pela atuação da família salvatoriana no país, que com certeza ganhará maior visibilidade e reconhecimento.

Por ocasião do início do processo de análise do então presumível milagre, que aconteceu na cidade de Jundiaí, o Pároco da Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Vila Arens Jundiaí (SP) era o Padre Francisco Sydney de Macedo Gonçalves, SDS, que atualmente é o Superior-Provincial da Província Salvatoriana Brasileira. Foi também graças ao seu empenho, entusiasmo e dedicação como vice-postulador da causa de beatificação, que foi possível registrar a participação ativa dos brasileiros neste processo e na história da Família Salvatoriana no mundo.

Os religiosos Salvatorianos atualmente também estão presentes em na Arquidiocese de São Paulo. Atuam na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Moema, Região Episcopal Ipiranga; e na Paróquia São João Batista, no Jardim Colonial, Região Episcopal Belém. Além disso, estão situados no território da Arquidiocese a Sede Provincial dos Religiosos Salvatorianos e o Instituto Doze Apóstolos (seminário internacional salvatoriano de Teologia), ambos no bairro no Jabaquara.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter