Papa Francisco chega ao Cazaquistão

Serão três dias em Nur-Sultan, no coração da Ásia, para participar do Congresso dos Líderes das religiões mundiais e tradicionais.

Papa Francisco chega ao Cazaquistão, Jornal O São Paulo
Vatican Media

O Papa Francisco chegou ao Cazaquistão. O avião que transportava o Pontífice pousou no aeroporto de Nur-Sultan, capital do país às 13h20, hora de Roma. Na acolhida oficial, o Pontífice teve um breve encontro com o Presidente da República Kassym-Jomart Tokayev, a quem fará uma visita de cortesia no Palácio Presidencial, imediatamente após a cerimônia de boas-vindas. Em seguida, no Salão de Concertos Qazaq, Francisco se encontrará com as autoridades do país, a sociedade civil e o corpo diplomático.

Serão três dias em Nur-Sultan, no coração da Ásia, para participar do Congresso dos Líderes das religiões mundiais e tradicionais. Uma oportunidade, como disse no Angelus de domingo passado, para dialogarmos como irmãos, animados pelo desejo comum de paz, de que o nosso mundo tem sede. A decolagem de Roma-Fiumicino foi às 7h36. Aos jornalistas da comitiva os votos de um bom trabalho.

Uma pomba, um ramo de oliveira, as mãos dos “mensageiros da paz e da unidade” unidas. No logotipo e no lema as palavras-chave da 38ª Viagem Apostólica do Papa Francisco, que começou na manhã desta terça-feira, 13, e que o verá até 15 de setembro na Ásia Central, Cazaquistão, uma antiga República Soviética ao longo da antiga Rota da Seda, espremida entre a China e a Rússia, encruzilhada de diferentes culturas, credos e grupos étnicos. A ocasião é a participação no VII Congresso dos Líderes das Religiões Mundiais e Tradicionais, para reafirmar a contribuição positiva das fés para a harmonia entre os povos. Mas o Pontífice também vai para encontrar, animar e renovar na fé a pequena comunidade católica local, menos de 1% dos 19 milhões de habitantes, mas apreciada, num contexto religioso-cultural muito diversificado.

A partida e os primeiros compromissos

Por volta das 6h30, o Papa se transferiu de carro da Casa Santa Marta para o aeroporto de Roma-Fiumicino, onde embarcou em um Airbus A330 da ITA Airways. O avião decolou às 7h36, com destino a Nur-Sultan, a futurista capital cazaque conhecida até março de 2019 como Astana, com destino ao aeroporto internacional.

Cerca de 6h30 horas de voo, durante as quais o Airbus sobrevoará Itália, Croácia, Bósnia-Herzegovina, Sérvia, Montenegro, Bulgária, Turquia, Geórgia, Azerbaijão.

Ao deixar a Itália, o Papa enviou um telegrama ao presidente da República Italiana, Sergio Mattarella, no qual dirige a sua “cordial saudação ao Chefe de Estado e a todos os italianos, que acompanho com votos de serenidade e harmonia. oração a Deus pelo bem e progresso de toda a nação”.

Como em todas as viagens, Francisco saudou os cerca de 80 jornalistas que o acompanham na viagem: ‘Bom dia, muito obrigado pela sua presença e pela sua ajuda nesta viagem’, afirmou. “Desejo-lhes uma boa viagem e um bom trabalho! Falaremos quando voltarmos, obrigado e tenham um bom dia”.

Fonte: Vatican News

Deixe um comentário