Reunião virtual tratará sobre como integrar o Sínodo da sinodalidade e a Assembleia Eclesial

Os preparativos para os grandes eventos que refletirão a respeito do caminhar eclesiástico, tanto no continente quanto no mundo todo, dão mostras do empenho e disposição da Igreja na América Latina e no Caribe

Reunião virtual tratará sobre como integrar o Sínodo da sinodalidade e a Assembleia Eclesial

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam), juntamente com várias organizações eclesiais do continente, convoca o primeiro “Encontro Eclesial Virtual da América Latina e do Caribe”, a ser realizado em 30 de março, com o objetivo de unir o Sínodo sobre a sinodalidade com o 41 desafios da Assembleia Eclesial (veja detalhes destes últimos em https://bit.ly/3ye5lcK).

O Padre David Jasso, Subsecretário do Celam, indicou que com este primeiro encontro se busca “renovar o que foi vivido na Assembleia Eclesial em clima de oração e reflexão” e, além disso, “terão presente a celebração do 15 anos da Conferência de Aparecida como prelúdio dos próximos Encontros que serão realizados pelas regiões de 13 a 31 de maio de 2022”.

Nesta ocasião, foram convidados a participar os mil membros da assembleia de novembro passado, membros dos Conselhos dos Centros Pastorais do Celam, a equipe de Reflexão Teológica, animadores nacionais do Sínodo, presidentes e secretários das Conferências Episcopais, a Rede Interinstitucional do Processo de Escuta, entre outros.

Quem desejar participar, poderá fazê-lo por meio das redes sociais do Celam e Assembleia Eclesial (Facebook @celam.oficial e @asambleaeclesial e por meio dos canais Celam TV e YouTube da Assembleia Eclesial) nos seguintes horários:

  • México e América Central: 15h30
  • Panamá, Colômbia, Peru e Equador: 16h30
  • República Dominicana, Cuba, Haiti, Porto Rico, Antilhas, Venezuela, Bolívia e Manaus: 17h30
  • Paraguai, Brasília, Uruguai, Argentina e Chile: 18h30

CAMINHO PASTORAL DA IGREJA NO CONTINENTE

A presidência plena do Celam assinou uma carta na qual traça o caminho pastoral da Igreja na América Latina e no Caribe, tendo como horizonte a Assembleia Eclesial e o Sínodo sobre a sinodalidade.

A esse respeito, mencionou que “a tarefa atual e até abril ou maio ​​de 2022 consiste em tomar como ponto de partida os desafios e as orientações pastorais e, a partir daí, elaborar uma proposta para o discernimento da Igreja no continente”.

“A Equipe de Reflexão Teológica Pastoral do CELAM está coletando essas contribuições para integrá-las no mesmo texto” e “oportunamente serão apresentadas as conclusões e começará o tempo necessário para sua assimilação e implementação”, disseram.

Para isso, foram estabelecidas duas comissões: “Assembleia Eclesial, sua implementação; e Celam a caminho do Sínodo”, que estão trabalhando juntas na organização de várias atividades.

PROPOSTAS E ATIVIDADES

Entre as atividades organizadas por essas comissões, destaca-se um Itinerário Espiritual com uma série de subsídios quaresmais para “ajudar-nos a refletir sobre nossa conversão pessoal, comunitária e pastoral em chave sinodal”.

Da mesma forma, com o 15º aniversário da Conferência Geral de Aparecida, pretende-se convocar os participantes da Assembleia Eclesial para encontros virtuais por região e “encontrar e compartilhar com esperança o caminho que estamos percorrendo”.

Além disso, o Celam, no marco desse processo, realizará uma Assembleia Extraordinária em julho de 2022, para que “nós, bispos com coração de pastor, possamos aprofundar e fazer nossos esses frutos juntamente com as orientações pastorais que procurarão iluminar o processos, projetos e planos de pastoral das comunidades.

Os bispos, na carta, explicaram que “já existem instâncias pastorais no continente que são um desafio, de acordo com sua realidade mais próxima”, entre elas os quatro Centros Pastorais do Celam, a Confederação Latino-Americana de Religiosos (CLAR) e a Cáritas América Latina, que “estão oferecendo recursos para a jornada”.

Finalmente, planeja-se organizar um seminário sobre “Identidade e Missão Pastoral”, como um “espaço de reflexão para olhar o horizonte da Igreja a partir de sua renovação e reestruturação e em chave sinodal. Tudo isso na perspectiva da realização da fase continental do Sínodo em 2023”.

Fonte: Celam

Deixe um comentário