‘Todos nós podemos contribuir para trazer paz à terra’, diz Bispo no Sudão do Sul

Facebook Diocese de Tombura Yambio

“Como estes santos pais, nós também encontramos esperança: esperança na salvação que o nascimento de Cristo nos traz; esperança em uma vacina para o Coronavírus; esperança que gradualmente possamos encher nossas igrejas novamente sem medo algum, nos reunirmos como famílias novamente, retornar à escola novamente, e ser totalmente empregado novamente; esperança de um 2022 melhor e mais tranquilo ”, escreve o bispo da Diocese de Tombura-Yambio, no Sudão do Sul, Dom Barani Eduardo Hiiboro Kussala na mensagem enviada para o Natal.

“Apesar da preocupação em nossas aldeias e da gritaria política e da violência, a pandemia nos obrigou a compreender que fomos criados à imagem e semelhança de Deus, redimidos pelo Menino Salvador e, desde o estábulo de Belém, que confiamos profundamente uns nos outros como família humana”, continuou, acrescentanto: “Nosso estado de Equatória Ocidental ou Diocese de Tombura-Yambio se sente diferente do que há um ano. Os dramáticos acontecimentos políticos do ano neste estado e na diocese, os deslocados internos, a crise dos refugiados, a violência intercomunitária em todo o nosso país contribuíram para isso”.

De acordo com um relatório recente, os níveis de privação têm aumentado. Dom Hiiboro disse que quase metade dos bairros do município está mais carente do que há cinco anos. “Comemorando o nascimento de Jesus, recebemos uma confiança renovada no poder da bondade e do amor, e somos incentivados a mostrar e compartilhar essa bondade e amor o ano todo. No entanto, o mundo muda, essas são maneiras pelas quais todos podemos ajudar a trazer paz na terra, e boa vontade a todos”, destacou

Em referência à pandemia, o bispo ressaltou que o surgimento da variante ômicron e seu rápido crescimento é uma fonte de preocupação e como medida de precaução o governo deve ter que reintroduzir algumas regras, como o uso obrigatório de coberturas faciais em a maioria das configurações internas.

“Para locais de culto, ainda depende das igrejas particulares decidirem as precauções adicionais que desejam tomar com base em sua própria avaliação de risco para proteger os outros e a si mesmas. Dentro da Igreja, acreditamos que todos são conhecidos e amados individualmente por Deus e como muitos membros do mesmo corpo somos chamados a ser responsáveis ​​uns pelos outros, respeitando os mais vulneráveis ​​cujo sofrimento é o nosso sofrimento (1 Cor 12,12-27)”, explicou o Prelado.  

“Que Deus nos abençoe com boa saúde, espírito renovado e uma verdadeira compreensão e respeito pela humanidade de nossos próximos em 2022. Nossa esperança está na compreensão de que Christus natus est!” concluiu o Bispo.

Fonte: Agência Fides

Deixe um comentário