Unida na diversidade de ministérios e carismas, Igreja no continente inicia Assembleia Eclesial

Missa de abertura aconteceu no domingo, 21, na Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe, na Cidade do México

Unida na diversidade de ministérios e carismas, Igreja no continente inicia Assembleia Eclesial
Dom Miguel Cabrejos, Presidente do Celam, preside missa de abertura da Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe

Após meses de preparativos, incluindo uma ampla fase de escuta aos católicos em todos os países do continente, teve início no domingo, 21, com uma missa no Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, na Cidade do México, a 1a Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe.

Até o próximo domingo, 28, cerca de cem pessoas presencialmente e outras mil, de modo on-line, refletirão sobre a Igreja no continente à luz das deliberações da V Conferência de Aparecida, realizada em 2007, avaliando os frutos já obtidos e as questões que precisam ser retomadas e aprimoradas.

A realização da Assembleia Eclesial foi um pedido do Papa Francisco ao Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam). A atividade tem como tema “Somos todos discípulos missionários em saída” e o Pontífice enviou uma mensagem aos participantes, exortando que realizem um amplo processo de escuta e se abram à ação criativa do Espírito Santo para pensar caminhos para a evangelização e ação pastoral da Igreja no continente.

Escuta, sinodalidade e unidade eclesial

A missa de abertura foi presidida por Dom Miguel Cabrejos, Arcebispo de Trujillo, no Peru, e Presidente do Celam. Na homilia, ele afirmou que a Assembleia Eclesial chega depois de “um longo caminho juntos, ouvindo a todos, sentindo como é belo ser membro do Corpo Místico de Cristo, protagonista e corresponsável pela evangelização como discípulos missionários”.

Dom Miguel Cabrejos pediu a Deus “que abra nossos corações para que possamos ser guiados em um espírito de escuta, sinodalidade e unidade eclesial, e para descobrir o que Ele quer nos dizer como povo de Deus no caminho”.

O Prelado peruano comparou esta Assembleia com a Conferência de Medellín, que definiu como “a ‘recepção criativa’ do Concílio Vaticano II em um contexto marcado pela pobreza e pela exclusão”; além de entender a atual Assembleia como um momento “para ‘reviver Aparecida’, que reafirmou a renovação conciliar, e procura contribuir para uma ‘segunda recepção’ do Vaticano II no novo contexto em que vivemos”.

Uma Assembleia do Povo de Deus

O Presidente do Celam recordou que o pedido para que acontece com ampla participação dos leigos, religiosos e padres, e não só de bispos, partiu do Papa Francisco, sendo, assim, “uma Assembleia eclesial plena”.

Ao falar sobre a ampla participação dos católicos do continente desde a fase de escuta, Dom Miguel Cabrejos destacou: “estamos unidos na diversidade de ministérios e carismas”, e lembrou que o evento “inaugura um novo corpo sinodal na esfera continental, que coloca a colegialidade episcopal dentro da sinodalidade eclesial, expressão do vínculo do Bispo com o Povo de Deus na sua Igreja local, e da concepção da Igreja”.

Sob a intercessão mariana

O Presidente do Celam afirmou, ainda, ser um novo Pentecostes, no qual também está presente “Nossa Mãe, María del Tepeyac, que representa todas as dedicatórias que sustentam a vida e a identidade de nossos povos latino-americanos e caribenhos”.

Ele invocou a fiel e poderosa intercessão mariana, “para que nos mostre o rosto e o olhar de Cristo nesta etapa do encontro face a face e virtual”.

Também pediu à Virgem de Guadalupe “que nos mostre o caminho que Deus deseja para a sua Igreja na nossa região”, e docilidade “para empreender um processo de conversão permanente, em comunhão com o Concílio Vaticano II e o Papa Francisco, a caminho do Sínodo sobre a sinodalidade e o que significam as exigências pastorais para o evento jubilar de Guadalupe (2031) e da redenção (2033)”.

Cristo crucificado nas pessoas vulneráveis

Dom Miguel Cabrejos disse que deseja, “na difícil unidade na diversidade, responder e acompanhar todo o povo de Deus numa hora profundamente complexa e difícil”, insistindo que não se pode esquecer que Cristo continua crucificado em cada pessoa vulnerável.

O Arcebispo de Trujillo enfatizou que há ruptura da comunhão e da fraternidade quando se vê perpetuar a desigualdade, violência generalizada, falsos testemunhos de líderes que abandonam o sentido de serviço de suas responsabilidades, crise sem precedentes da nossa casa comum e os abusos e exclusão sistemáticas a que são submetidas as mulheres.

Por fim, o Presidente do Celam desejou a todos os participantes “o dom da escuta, aquele que nos leva a sair das nossas reduzidas posições particulares, e nos aproxima dos irmãos para buscar Deus em comum e em comunhão”.

Como acompanhar

Unida na diversidade de ministérios e carismas, Igreja no continente inicia Assembleia Eclesial
Cardeal Scherer esteve entre os concelebrantes da missa (fotos: comunicação da Assembleia Eclesial)

A 1a Assembleia Eclesial da América Latina do Caribe acontecerá até o dia 28, com sessões reservadas e algumas abertas, transmitidas pelo site oficial: https://asambleaeclesial.lat.

Como 1o Vice-presidente do Celam e representante da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) neste Conselho, o Cardeal Scherer, Arcebispo de São Paulo, participa presencialmente das atividades no México.

A sessão solene de abertura da 1a Assembleia Eclesial acontecerá na segunda-feira, 22, às 11h20 (pelo horário de Brasília).

CLIQUE E VEJA A AGENDA COMPLETA DA 1A ASSEMBLEIA ECLESIAL

(Com informações do Celam)

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter