Corpo: sinal visível da imagem e semelhança de Deus na humanidade

Corpo: sinal visível da imagem e semelhança de Deus na humanidade
‘A Criação de Adão’, de Michelangelo, na Capela Sistina, ilustra os fundamentos da antropologia cristã e da Teologia do Corpo

Uma fonte para compreender melhor o quanto o vício da pornografia é danoso para a pessoa é a chamada Teologia do Corpo, desenvolvida a partir de uma série de catequeses de São João Paulo II, realizadas entre os anos 1979 e 1984. Nas catequeses, ele aprofunda o tema do amor humano com base no mistério da Encarnação, na Antropologia e a espiritualidade cristãs.

Ao longo desses mais de quatro anos, o Pontífice polonês meditou sobre o amor humano em seus vários aspectos: a relação do homem e da mulher, a linguagem profética do corpo humano, a luta espiritual do coração do homem o amor conjugal, entre outros.

LEIA TAMBÉM:
‘A pornografia é um desserviço à sexualidade’

O Padre Alessandro Enrico de Borbón, mestre em Teologia do Matrimônio e Família, pelo Instituto João Paulo II, em Roma, explicou ao O SÃO PAULO que o Papa Wojtyla inicia a Teologia do Corpo com uma exegese dos primeiros capítulos do livro do Gênesis, sobre a criação do homem e da mulher, e destaca que ambos foram feitos à imagem e semelhança de Deus e que o corpo humano é expressão desse mistério.

Nesse sentido, a Teologia do Corpo indica que todo ser humano possui três experiências originárias que são compreendidas a partir do relato da criação.

A primeira é a “solidão originária”, que se refere ao sentimento de Adão antes da criação de Eva, diante da falta da companhia de uma criatura de igual natureza. A segunda experiência é a “nudez originária”, que recorda que ambos foram criados nus e, até o surgimento do pecado original, não havia a maldade do olhar humano. Já a terceira experiência é a da “unidade originária”, pois Deus criou o homem e a mulher em igualdade de dignidade.

DINAMISMO DO AMOR

A partir dessas três experiências originárias, desenvolve-se o que, na Teolo- gia do Corpo, é chamado de dinamismo do amor, que se dá em três etapas: a atração, o desejo e o encontro afetivo.

“O amor nasce de uma admiração pela outra pessoa, que se deixa impac- tar pela beleza da outra, suas qualidades físicas, seu jeito, personalidade etc., que a afetam a ponto de desenvolver uma união afetiva. Isso leva a um desejo por essa pessoa, que cresce a ponto de chegar ao encontro afetivo de fato”, detalhou o Sacerdote.

Nesse sentido, o vício da pornografia rompe os processos desse dinamismo do amor e do respeito ao outro. “A outra pessoa passa a ser um objeto de prazer e mais nada. Esquece-se de que existe uma pessoa por trás disso tudo, com outras qualidades e a dignidade de filho de Deus”, sublinhou o Padre.

ESPIRITUAL E DIVINO

Outro aspecto da sexualidade humana, iluminado pela Teologia do Corpo, é quanto à sua finalidade em relação à complementaridade entre homem e mulher para o plano da relação do amor de Deus para com a humanidade, como explicou o médico Valdir Reginato, professor da Escola Paulista de Medicina e terapeuta familiar.

“A enganosa visão do corpo como mero instrumento da relação sexual não pode deixá-lo desconsiderado ou sub- misso diante da sublimidade do espírito, pois ‘o corpo, de fato, e só ele, é capaz de tornar visível o que é invisível: o espiritual e o divino’”, detalhou o médico, citando São João Paulo II.

Valdir Reginato enfatizou, ainda, que a pornografia impede a pessoa de perceber o corpo como sinal visível dessa realidade sobrenatural, “arremetendo a uma satisfação egoísta, que foge do caminho da verdade e da vida com amor, e conduz à frustração do vício e suas consequências”.

Corpo: sinal visível da imagem e semelhança de Deus na humanidade
Obra “História do Gênesis: a criação do homem”, de Emanuele Lampardo (sec. XVI-XVII)

PURIFICAR O OLHAR

Padre Alessandro indica que um primeiro passo para vencer o vício da por- nografia é a busca desse “olhar originá- rio” que enxergue a outra pessoa como um ser humano que exige todo respeito e cuja beleza corporal não pode ser usa- da apenas para a satisfação de um prazer instintivo.

“A pornografia não deixa de ser uma ilusão e, portanto, mexe com a fantasia”, destacou o Sacerdote, explicando que a fantasia em si não é algo ruim e faz parte do mecanismo cognitivo e psíquico, mas precisa ser controlada.

Outro aspecto é o domínio dos desejos. “O ser humano precisa ser dono dos seus desejos e não dominado por eles”, completou o Padre, explicando que ter desejos não é um problema em si, mas esses devem ser consequência do dinamismo do amor mencionado anteriormente.

AFETIVIDADE

“Muitas vezes, o escape da pornografia é por uma carência afetiva. A pessoa não se sente amada, seus relacionamentos não a preenchem”, ressaltou o Sacerdote, indicando como caminho a busca de bons relacionamentos afetivos, seja no âmbito conjugal, seja no cultivo de boas e sinceras amizades.

A separação entre o sexo e o amor, algo bastante estimulado pela cultura atual, é outro fator para a busca da pornografia. “O ato sexual é uma das expressões do amor, por meio do qual alguém se entrega livre e totalmente, aberto à vida, a outra pessoa, não para buscar um prazer simplesmente, mas como fruto do amor e do desejo de entrega para a outra pessoa. É nessa perspectiva que se deve realizar a união sexual”, recordou o Sacerdote, alertando para o risco de o prazer se tornar um fim em si mesmo e não uma consequência dessa entrega total.

REDIRECIONAR A FINALIDADE

Uma pessoa que está viciada na pornografia precisa redirecionar a finalidade da sua vida, precisa ter um ide- al muito maior, que para os cristãos é chegar e estar com Deus, o céu. Se há clareza disso, todos os atos e decisões de alguém devem concluir para essa finalidade.

“Para desenraizar um vício, só existe um caminho, que é apresentando um novo amor, que seja mais forte, uma nova motivação pela qual se sinta uma força que a tire dessa realidade”, frisou Padre Alessandro, lembrando que a motivação maior do cristão é a vida eterna em Deus.

EDUCAÇÃO SEXUAL SAUDÁVEL

Padre Alessandro in- dica como caminho para vencer essa dificuldade a busca de uma reintegração da vida. “Reintegrar as paixões, desejos, vontades… Para que tudo seja em função de um fim e de um sentido maior na minha vida”, aconselhou.

Valdir Reginato reconheceu que não basta apenas limitar o acesso à pornografia no com- putador ou celular por meio de filtros ou outros mecanismos restritivos. “Ela se escancara nas ruas, em revistas, cine- mas, festas etc. É necessário que se esforce não só na proibição pelos meios legais, mas, principalmente, pela educação sexual saudável e cristã em família, a partir do berço, por meio da qual se redescubra as alegrias da grandeza do amor de Deus para com a humanidade”, afirmou.

SENTIDO DO AMOR

Do ponto de vista prático, nesse contexto de confinamento social, o médico recomendou o cultivo de uma rotina de saudável convivência em família e o cumprimento das tarefas diárias, que diminuem o tempo ocioso. Associado a isso, o cultivo de uma vida de oração que ajude a pessoa a tomar cada vez mais consciência da sua dignidade de filho de Deus.

Valdir Reginato concluiu que, para aqueles que se encontram desanimados e enfraquecidos, é preciso “mostrar que é possível superar o mal da pornografia manifestando a alegria por viver com sentido no amor de Cristo”.

- publicidade -

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Compartilhe!

Últimas Notícias

Prefeitura de SP ampliará testagem de COVID-19 em distritos com mais casos

Inquérito sorológico divulgado na quinta-feira, 9, indica que 9,8% dos paulistanos podem ter sido contagiados com o novo coronavírus

A solidariedade pode estar na porta ao lado

Não há dúvidas de que a população mais pobre é a que mais sofre com os impactos...

Contagem de casos se estabiliza e SP decide reabrir parques

Serão abertos na segunda 70 parques com limitação de público e horário O prefeito...

Líderes de ordens religiosas filipinas manifestam oposição à nova lei antiterrorismo

POR JOÃO FOUTO A associação que reúne os superiores gerais, homens e mulheres, das ordens religiosas nas Filipinas...

Dom Luiz Carlos preside missa na festa de Santa Isabel Rainha

No sábado, 4, Dom Luiz Carlos Dias, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Belém, presidiu missa na...

Newsletter