Do Pateo do Collegio, ‘Cânticos de Fé’ em homenagem à cidade

Músicas do Padre José Weber, verbita, a partir de cartas paulinas, foram apresentadas na pela São Paulo Schola Cantorum, sob a regência do Maestro Delphim Rezende Porto

Do Pateo do Collegio, ‘Cânticos de Fé’ em homenagem à cidade
Apresentação na igreja do Pateo do Collegio do concerto ‘Cânticos de Fé das Cartas de São Paulo Apóstolo’ (fotos: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

Na manhã deste sábado, 23, a São Paulo Schola Cantorum apresentou na igreja do Pateo do Collegio, o concerto “Cânticos de Fé das Cartas de São Paulo Apóstolo”, uma homenagem à capital paulista, que na segunda-feira, 25, completará 467 anos de fundação, na data em que a Igreja celebra a Festa da Conversão de São Paulo Apóstolo, Padroeiro da Arquidiocese e da cidade.

Em razão da atual pandemia, a participação presencial foi limitada, mas o concerto pôde ser visto em todo o mundo por meio das mídias sociais da Arquidiocese e do Patteo do Collegio.

O público acompanhou a execução de 19 músicas e uma antífona “Saulo, Saulo, por que tu me persegues?”, composta especialmente para a solenidade, todas extraídas de textos do Apóstolo Paulo – cartas aos Filipenses, Tessalonicenses, Hebreus, Efésios, Colossenses, Timóteo – e compostas pelo Padre José Weber, 88, sacerdote do Verbo Divino (verbitas), que é referência na música litúrgica no Brasil.

A regência foi do Maestro Delphim Rezende Porto, 33, diretor de música da Catedral da Sé, acompanhado dos integrantes da São Paulo Schola Cantorum e pelo organista da igreja do Pateo do Collegio, Felipe Bernardo.

Ao dar as boas-vindas aos participantes do concerto, o Padre Carlos Alberto Contieri, Diretor do Pateo do Collegio, recordou as origens cristãs da capital paulista, fundada por missionários jesuítas e enalteceu a contribuição do Padre Weber para a música litúrgica no Brasil.

Do Pateo do Collegio, ‘Cânticos de Fé’ em homenagem à cidade
Padre Contieri, Maestro Delphim e os integrantes da São Paulo Schola Cantorum

“Hoje é uma belíssima oportunidade, nessa ocasião dos 467 anos do Pateo e da nossa cidade, de nos reunirmos. Espero que participemos deste momento não só como espectadores, mas como pessoas que estão abertas para poder aprofundar, por meio desses refrões paulinos, o mistério de nossa fé que foi transmitida pelos apóstolos”, afirmou no início da apresentação, ocasião em que saudou Dom Eduardo Vieira dos Santos e Dom José Benedito Cardoso, Bispos Auxiliares da Arquidiocese, que acompanharam presencialmente a apresentação.

Um momento singular, foi a leitura de uma homilia de São João Crisóstomo, bispo do século IV, narrando a vida, a missão evangelizadora e a Conversão de São Paulo. 

A música com expressão da fé

Antes do fim da apresentação, o Maestro Delphim comentou que mais que ouvir os textos sagrados, o concerto permitiu escutar a exegese do Padre José Weber. “A música dá sentido às palavras. Não seria tão forte, tão profundo ouvi-las sem esse conteúdo musical que nós tivemos a chance de usufruir hoje”, afirmou o regente, que dedicou a execução musical a todos os falecidos em razão da pandemia e desejou que o ano de 2021 seja melhor que o anterior.

“Cantar as composições do Padre Weber é uma vivência bíblica. O concerto remete a uma espécie de sermão cantado, as explicações se dão em formato musical, em cada nota se adentra no conteúdo mais intrínseco da experiência do sagrado”, comentou o Maestro em entrevista.

Após o concerto, o Padre José Weber afirmou que compor música é parte de sua missão como sacerdote verbita. “Que o povo de Deus, conhecendo as bases da nossa fé cristã, por meio das cartas de São Paulo, cresça na caridade, na fé, na vida cristã”, desejou. Ele brincou que “São Paulo foi o autor da letra e eu, da música, de modo que nós somos até parceiros”.

“Para nós cristãos, cantar na liturgia é usar a Palavra de Deus com a música, para que a Palavra seja mais elevada à comunidade cristã”, disse o Padre Weber, destacando, ainda, a indispensável coparticipação entre o coro musical e a assembleia de fiéis: “Creio que agora é tempo de retormarmos os nossos coros, mas não deve ser nem o coro sozinho, nem o povo sozinho, mas, sim, as duas coisas juntas, como orientado nos documentos do Concílio Vaticano II”.

“As cartas de São Paulo são de uma profunda riqueza teológica, espiritual e  pastoral. Cantar Paulo é conduzir os fiéis a uma experiência profunda de fé e encontro com Cristo”, destacou Padre em entrevista ao O SÃO PAULO, cuja íntegra será publicada na próxima edição.

Do Pateo do Collegio, ‘Cânticos de Fé’ em homenagem à cidade
Padre José Weber: ‘Que o povo de Deus, conhecendo as bases da nossa fé cristã, por meio das cartas de São Paulo, cresça na caridade, na fé, na vida cristã’

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter