Confira nossa versão impressa

Em carta apostólica, Papa apresenta São Jerônimo como a ‘Biblioteca de Cristo’

Em carta apostólica, Papa apresenta São Jerônimo como a ‘Biblioteca de Cristo’

Foi publicada nesta quarta-feira, 30, a Carta Apostólica Sacrae Scripturae affectus, do Papa Francisco, por ocasião do 16º centenário da morte de São Jerônimo, doutor da Igreja, tradutor e exegeta das Sagradas Escrituras.

Na Introdução do documento, o Pontífice recorda a vida de São Jerônimo, seu percurso e estudos iniciados a partir da visão que ele teve numa Quaresma por volta do ano 375.  “Aquele episódio da sua vida concorre para a decisão de se dedicar inteiramente a Cristo e à sua Palavra, consagrando a sua existência a tornar as palavras divinas cada vez mais acessíveis aos outros, com o seu trabalho incansável de tradutor e comentador”, destaca o Papa, acrescentando que , “colocando-se à escuta na Sagrada Escritura, Jerônimo encontra-se a si mesmo, encontra o rosto de Deus e o dos irmãos, e apura a sua predileção pela vida comunitária”.

“Para uma plena compreensão da personalidade de São Jerônimo, é necessário combinar duas dimensões caraterísticas da sua existência de crente: por um lado, a consagração absoluta e rigorosa a Deus, renunciando a qualquer satisfação humana, por amor de Cristo crucificado (cf. 1 Cor 2, 2; Flp 3, 8.10); por outro, o empenho assíduo no estudo, visando exclusivamente uma compreensão cada vez maior do mistério do Senhor”, explica o Santo Padre.

Acesse a íntegra da Carta Apostólica Sacrae Scripturae affectus

AMOR PELAS ESCRITURAS

O Santo Padre enfatiza que o amor apaixonado de São Jerônimo às divinas Escrituras está imbuído de obediência: “antes de tudo, obediência a Deus, que Se comunicou em palavras que exigem escuta reverente  e, consequentemente, obediência também a quantos na Igreja representam a tradição interpretativa viva da mensagem revelada”.

Ao se referir à Vulgata, edição da Bíblia traduzida pelo Santo, o Papa ressalta que, com essa tradução, “Jerônimo conseguiu ‘inculturar’ a Bíblia na língua e cultura latinas, tornando-se esta operação um paradigma permanente para a ação missionária da Igreja”.

Por fim, o Pontífice afirma que, entre muitos elogios feitos a São Jerônimo, encontra-se o de que ele não foi considerado simplesmente um dos maiores cultores da “biblioteca” de que se nutre o cristianismo ao longo dos tempos, mas, com a leitura assídua e a meditação constante, fizera do seu coração uma biblioteca de Cristo”

“Jerônimo não poupou esforços para enriquecer a sua biblioteca, vendo nela um laboratório indispensável para a compreensão da fé e para a vida espiritual; e, nisto, constitui um exemplo admirável também para o presente”, completou Francisco.

(Com informações de Vatican News)

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Retirar-se para ouvir a voz de Deus

O SÃO PAULO apresenta indicações para quem deseja realizar um retiro espiritual de maneira solitária e pessoal

Marcha pela Vida 2020: a mulher e o bebê têm igual direito de viver

Não foi como nos anos anteriores, com centenas de pessoas nas ruas, mas a Marcha pela Vida...

São João Paulo II: um Santo e poeta da Igreja

Dando sequência a série especial que rememora santos poetas da Igreja ao longo da história, O SÃO...

Polônia inaugura mural gigante de São João Paulo II no ano do centenário

Uma cidade polonesa inaugurou um mural gigante de São João Paulo II, em homenagem ao centenário de...

Declaração do Papa sobre homossexuais foi editada com fragmentos de entrevista de 2019

Cineasta utilizou trechos retirados do contexto original de uma entrevista do ano passado para compor afirmação do Pontífice a respeito das uniões...

Newsletter