‘Perseveremos na fé e não nos deixemos desorientar por falsos profetas’

‘Perseveremos na fé e não nos deixemos desorientar por falsos profetas’
(Foto: Bruno Melo)

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu, na capela de sua residência, a missa desta quarta-feira, 3, memória litúrgica de São Brás, Bispo e mártir. A celebração foi transmitida pela rádio 9 de Julho e pelas mídias digitais da Arquidiocese.

Brás nasceu na Armênia, era médico, sacerdote e muito benevolente com os pobres e cristãos perseguidos. Foi nomeado bispo de Sebaste no século III. Perseguido pelos romanos, abandonou o bispado e se protegeu na caverna de uma montanha isolada e, mesmo assim, após ser descoberto e capturado, morreu em testemunho de sua fé sob as ordens do imperador Licínio, em 316.

São Brás foi um pastor muito querido pelos fiéis de seu rebanho. Durante o seu cativeiro, na escuridão do calabouço, obteve de presente de algum de seus amigos um par de velas, com as quais recebia luz e calor. Por isso, aparece na sua representação iconográfica portando duas velas. Ele também é conhecido como o protetor dos males da garganta. Por essa razão, no dia de sua memória litúrgica, é feita a bênção da garganta dos fiéis, com a imposição de duas velas que, geralmente, são abençoadas no dia anterior, na Festa da Apresentação do Senhor.  

Profeta na própria pátria

No Evangelho do dia  (Mc 6,1-6), Jesus volta a Nazaré com seus discípulos. Depois de ter percorrido as redondezas como pregador e realizado sinais e milagres, chegou com grande fama à cidade onde havia vivido.

O evangelista são Marcos descreve a admiração daqueles que escutavam o Senhor e diziam: “De onde recebeu ele tudo isto? Como conseguiu tanta sabedoria? E esses grandes milagres que são realizados por suas mãos? Este homem não é o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, de Joset, de Judas e de Simão? Suas irmãs não moram aqui conosco?”

“Jesus aplica aquele provérbio conhecido no Antigo Testamento: ‘Um profeta só não é honrado na sua pátria, na sua terra natal’”, afirmou Dom Odilo, na homilia, destacando, ainda, que esse trecho bíblico põe novamente em relevo a questão: “Quem é Jesus?”.

“Também somos chamados a nos interrogar sobre quem, afinal, é Jesus para nós, para a Igreja, para a humanidade”, sublinhou o Arcebispo.

Firmes nas provações

A primeira leitura (Hb 12,4-7.11-15) chega ao centro da Carta ao Hebreus, que é exortar seus destinatários a permanecerem firmes nas provações, perseguições e a não desistirem da fé.

“Vós ainda não resististes até o sangue na vossa luta contra o pecado, e já esquecestes as palavras de encorajamento que vos foram dirigidas como a filhos”, diz o texto. “A luta pela perseverança na fé não para diante da primeira dificuldade. Temos que aprender a superar as dificuldades uma após a outra”, comentou o Cardeal.

Em seguida, o autor da Epístola recorda um provérbio conhecido na época, que diz que “o Senhor corrige a quem ele ama e castiga a quem aceita como filho”. “Também as provações podem ser ocasiões para que nós corrijamos a nossa vida. Não devemos, imediatamente, pensar que Deus manda provações para a nossa ruina ou queda. Pelo contrário, como os pais que querem bem os filhos e os educam, às vezes, usam de severidade para com eles, porque querem bem os filhos”, continuou Dom Odilo.

Acertar os passos

O texto também exorta: “firmai as mãos cansadas e os joelhos enfraquecidos; acertai os passos dos vossos pés, para que não se extravie o que é manco, mas antes seja curado”. “Continuemos a caminhar, porque quem desanima não chega à meta, ao fim do caminho”, completou o Cardeal

Por fim, o Arcebispo chamou a atenção para a recomendação da carta a cuidarem para que ninguém abandone a graça de Deus “que nenhuma raiz venenosa cresça no meio de vós, tumultuando e contaminando a comunidade”. “Eram os falsos pregadores que, justamente, desanimavam e desorientavam a comunidade”, explicou Dom Odilo.

“Peçamos a Deus ara que tenhamos essa força que Deus dá para que perseveremos na fé e não nos deixemos desorientar por falsos profetas e aqueles que têm vontade de desanimar os irmãos”, concluiu o Cardeal.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter