Confira nossa versão impressa

Quase 40% dos municípios do Brasil não têm serviços de esgoto

Dados foram apresentados pelo IBGE, no dia 22. Água potável está disponível em praticamente todo o País

Quase 40% dos municípios do Brasil não têm serviços de esgoto
(Crédito: Agência Brasil)

De cada dez municípios do Brasil, quatro ainda não têm serviços de rede de esgoto. Os dados foram apresentados na quarta-feira, 22, pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Conforme a Pesquisa Nacional de Saneamento Básico (PNSB), cerca de 39,7% dos municípios do País não tinham em 2017 serviços de esgotamento sanitário. Em 2008, esse percentual era de 44,8%.

CLIQUE A LEIA A ÍNTEGRA DA PESQUISA

Outro dado é que esses serviços são distribuídos de forma desigual entre as grandes regiões do país. Enquanto no Sudeste, mais de 90% dos municípios possuíam esgotamento desde 1989, no Norte essa proporção era de apenas 16,2% em 2017. No Nordeste, nessas três décadas, o percentual do atendimento passou de 26,1% para 52,7%.

“A gente pode observar pela série histórica que houve um avanço no esgotamento sanitário, mas ainda é incipiente. Para o total do país, em 1989, 47,3% dos municípios tinham o serviço e em 2017 somente 60,3% alcançaram esse patamar”, afirmou a gerente da PNSB, Fernanda Malta.

Esse panorama de atendimento deficitário do serviço de esgotamento no Brasil foi uma das principais motivações para o novo Marco Legal do Saneamento Básico, aprovado pelo Senado, em junho, e sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro no último dia 15.

São 34,1 milhões de domicílios sem serviço de esgotamento sanitário no Brasil, o que representa 49,9% do total.

Altos custos

De acordo com o engenheiro sanitarista José Everaldo Vanzo, especialista em Gestão de Saneamento voltado para a saúde pública e que atua no setor desde os anos 1970, a burocracia para se instalar estações de tratamento e os elevados custos ajudam a explicar o fato de o sistema de esgotamento não ser uma realidade em todo o País.

Quase 40% dos municípios do Brasil não têm serviços de esgoto
Estação de Tratamento de Esgoto (crédito: Governo de São Paulo)

“Para se instalar uma estação de tratamento de esgoto – entre projetar, executar a obra e colocá-la em operação – são necessárias licenças ambientais, outorgas, enfim, há toda uma exigência legal que nem sempre é possível ser cumprida em poucos anos”, disse ao O SÃO PAULO.

“O sistema de esgotamento sanitário é muito mais caro que um sistema de água, seja na implantação de redes, seja na sua manutenção, seja na construção dos coletores-tronco, dos interceptores dos emissários das estações  de tratamento de esgoto, seja também na sua operação e manutenção. É mais oneroso que o sistema de água”, complementou Vanzo.

De acordo com a pesquisa do IBGE, 62,8% dos municípios fazem o tratamento do esgoto coletado.

A coleta do esgoto é realizada principalmente nas cidades mais populosas. Os municípios menos populosos, com até 20 mil habitantes, ficaram abaixo da média do Brasil (62,8%) e os maiores percentuais estavam nos municípios com mais de 500 mil habitantes (97,6%).

A prestação desse serviço ocorre principalmente por entidades públicas: prefeituras (46,2% dos casos), companhias estaduais (41,6%) e as autarquias municipais, comumente denominadas Serviços Autônomos de Água e Esgoto (11%). As empresas privadas operam em apenas 3,1% dos municípios.

Próximo da universalização em água

A PNSB 2017 mostra que o percentual de municípios com abastecimento de água por rede chegou a 99,6% (5.548 municípios) em 2017, sendo que essa rede estava em funcionamento em 5.517, paralisada em 22 e em implantação em nove.

Em 2008, essa proporção era de 99,4% (5.531). Em 2017, houve interrupção do abastecimento por seis horas ou mais em 44,5% (2.454) dos municípios com o serviço em funcionamento e racionamento em 20,8% (1.146).

Havia, em 2017, 59,8 milhões de economias residenciais ativas (domicílio com abastecimento de água onde houve pagamento de conta e/ou consumo) abastecidas no país, um crescimento de 32% em relação a 2008 (45,3 milhões). Mesmo assim, o país ainda tinha 9,6 milhões de domicílios sem abastecimento de água por rede em 2017. Esse número de economias residenciais ativas abastecidas corresponde a 86,1% dos domicílios do país.

Quanto ao tratamento, 4.873 (88,3%) dos municípios com o serviço em funcionamento possuíam Estações de Tratamento de Águas (ETAs) e/ou Unidades de Tratamento Simplificado (UTSs) em operação em 2017. Ao todo, 5,5% do volume de água distribuído no país não recebe tratamento antes de chegar à população. Do volume distribuído tratado, 75,1% recebe tratamento convencional, que contempla as etapas de floculação, decantação, filtração, desinfecção e, eventualmente, etapas adicionais.

Cerca de 40% da água foi desperdiçada da entrada no sistema de distribuição até a chegada ao usuário.

Vanzo recordou que o benefício do saneamento básico é uma marca civilizatória: “Na Roma antiga, por exemplo, toda a cidade tinha água encanada, além de coleta e tratamento de esgoto e lixo, e todo mundo queria viver nas cidades romanas, pois a quantidade de doenças era bem menor do que em outras. Com saneamento adequado, a governança politica tem melhores condições de chegar a outras questões igualmente relevantes”.

Quase 40% dos municípios do Brasil não têm serviços de esgoto

(Com informações do IBGE)

- publicidade -

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Compartilhe!

Últimas Notícias

Cardeal Scherer preside missa arquidiocesana com coroinhas

Este ano, o o evento organizado pela Pastoral Vocacional contou apenas com representantes dos coroinhas e foi transmitido pelas mídias digitais

CNBB: ‘Dom Pedro marcou sua vida pela solidariedade em relação aos mais pobres e sofridos’

Bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia (MT) faleceu neste sábado, dia 8

Morre Dom Pedro Casaldáliga

A Prelazia de São Félix do Araguaia (MT), a Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de...

Plantas ganham cada vez mais espaço nas casas e apartamentos!

Uma quitinete de um grande centro urbano pode abrigar uma horta? Confira as histórias de quem cultiva plantas em casa e dicas...

‘O Direito Canônico existe para atender ao mistério da Igreja’

Afirmou o Padre Denilson Geraldo, em aula inaugural do semestre acadêmico da Faculdade de Direito Canônico São Paulo Apóstolo

Newsletter