A Igreja recorda São Jerônimo Emiliani

A Igreja recorda São Jerônimo Emiliani, Jornal O São Paulo

Jerônimo nasceu em Veneza, em 1486, e empreendeu uma carreira militar. Ao ser preso, fez um voto a Maria, em troca da sua liberdade, saindo completamente renovado. Assim, dedicou-se aos órfãos, fundando, na cidade de Somasca, a Companhia dos Servos dos Pobres, os Clérigos Regulares Somascos.  

“Comece a ser, desde já, o que você será no futuro”.

Jerônimo era o quarto filho da família nobre dos Emiliani. Como todos os jovens venezianos de 1500, sonhava em ter uma carreira militar, mesmo porque era a mais rentável. As notícias sobre a sua vida, antes do seu alistamento, ocorrido em 1509, são muito escassas. Sabe-se, apenas, que quando tinha cerca de dez anos, seu pai se matou.

Prisão e conversão

Em 1511, durante o assédio da fortaleza de Castel Nuovo de Quero, ao longo do rio Piave, Jerônimo foi preso pelo inimigo. Esta experiência de reclusão, embora tenha durado apenas 30 dias, mudou completamente a sua vida. Na fome, no sofrimento e com medo de perder a vida, encontrou as palavras justas para rezar. Então, dirigiu seus pedidos especialmente a Nossa Senhora, a quem prometeu converter-se em troca da sua liberdade. Ao sair da prisão, encontrou refúgio em Treviso, mas não esqueceu seu voto feito à Virgem. Assim, confidenciou com um sacerdote e começou a ler a Bíblia. Este foi o início da conversão do seu coração.

Ao serviço dos últimos

A primeira ocasião que Jerônimo teve de colocar à prova sua nova vida foi durante a epidemia que se abateu sobre Veneza, em 1528. Com um grupo de voluntários, percorreu a cidade para aliviar os doentes, aos quais colocou à disposição todos os seus bens.

Contagiado pela doença, recobrou a saúde de modo prodigioso. Desta forma, iniciou seu caminho de caridade, dedicando-se sempre aos mais necessitados, partindo dos pobres, das prostitutas, mas, sobretudo, dos órfãos.

Ofereceu sua vida aos órfãos

Quando seu irmão Lucas morreu, deixando órfãos seus três filhos, Jerônimo cuidou deles e, desde então, teve a intuição que mudou sua vida: instituiu uma Associação em prol dos jovens sem família, encarregando-se da sua educação.

Assim, nasceu em Bergamo, em 1533, a Companhia dos Servos dos Pobres, em defesa dos órfãos de guerra, dos mais fracos e indefesos entre os últimos. Jerônimo fundou para eles uma escola de trabalhos manuais e artísticos, e de ensino do Catecismo, seguindo um método inovador para a época: seu programa fundamental era composto de oração e trabalho, os princípios fundamentais que enobrecem o homem.

Sua morte e difusão da obra

A Companhia dos Servos dos Pobres tornou-se depois uma Congregação, até que, em 1568, o Papa Pio V a elevou à Ordem, da qual os religiosos foram chamados Clérigos Regulares de Somasca, nome da cidade, dado pelo Arcebispo de Milão, onde Jerônimo havia iniciado a sua obra.

Segundo o carisma da Ordem, os Somascos são devotos de Maria, venerada como “Mater orphanorum”. Naquelas alturas, Jerônimo já havia falecido de peste em 1537.

Canonizado em 1767, tornou-se o santo Padroeiro da juventude abandonada desde 1928.

Fonte: Vatican News

Assine nossa Newsletter

Mantenha-se informado das novidades da Igreja e do Mundo

Clique aqui para assinar!

Deixe um comentário