Hoje a Igreja celebra Santo Tomas Becket, Arcebispo e Mártir

Hoje a Igreja celebra Santo Tomas Becket, Arcebispo e Mártir
Reprodução de Internet

Nasceu em Londres em 1170. Era filho de um empregado oficial, e em seus primeiros anos foi educado pelos monges do convento de Merton. Aos 24 anos conseguiu um posto como ajudante do Arcebispo da Inglaterra (o de Canterbury) quem se deu conta que Tomas tinha qualidades excepcionais para o trabalho, assim que foi confiando pouco a pouco ofícios mais difíceis e importantes. Ordenou-o de diácono e o encarregou da administração dos bens do arcebispado. Enviou-o várias vezes a Roma a tratar assuntos de muita importância. Tomam como bom diplomático tinha obtido que o Papa Eugênio III se fizesse muito amigo do rei da Inglaterra, Henrique II, e este em ação de obrigado por tão grande favor, nomeou a nosso santo (quando só tinha 36 anos) como Chanceler ou Ministro das Relações Exteriores.

Depois da morte do Arcebispo Teobaldo em 1161, o rei Henrique II imediatamente pensou em Santo Tomas como o melhor candidato para ocupar tal cargo, mas nosso santo se negou muito cortesmente alegando que ele não era digno para tão honorável posto. Entretanto, um Cardeal de muita confiança do Sumo Pontífice Alexandre III o convenceu de que devia aceitar, e ao fim aceitou. Quando o rei começou a lhe insistir em que aceitasse o ofício de Arcebispo, Santo Tomas fez uma profecia ou um anúncio que se cumpriu ao pé da letra. Disse-lhe: "Se aceito ser Arcebispo me sucederá que o rei que até agora é meu grande amigo converter-se-á em meu grande inimigo". Henrique não acreditou que fora a acontecer assim, mas aconteceu. Ordenado de sacerdote e logo consagrado como Arcebispo, pediu a seus ajudantes que em adiante lhe corrigissem com toda valentia qualquer falta que notassem nele. Como ele mesmo o tinha anunciado, os invejosos começaram a caluniar ao arcebispo em presença do rei. Dizem que em um de seus terríveis estalos de cólera, Henrique II exclamou: "Não poderá haver mais paz em meu reino enquanto viver Becket. Será que não há ninguém que seja capaz de suprimir a este clérigo que me quer fazer a vida impossível?".

Para ouvir semelhante exclamação de lábios do mandatário, quatro sicários se foram onde o santo arcebispo resolvidos a lhe dar morte. Estava ele orando junto ao altar quando chegaram os assassinos. Era 29 de dezembro de 1170. Não opôs resistência. Morreu dizendo: "Morro com gosto pelo nome do Jesus e em defesa da Igreja Católica". Tinha apenas 52 anos.

O Papa Alexandre III lançou excomunhão contar o rei Henrique, o qual profundamente arrependido fez penitência durante dois anos, para obter a reconciliação em 1172.

Fonte: ACI Digital

Deixe um comentário