Hoje a Igreja celebra São Patrício

Hoje a Igreja celebra São Patrício, Jornal O São Paulo
Reprodução de internet

Há poucos dados sobre a origem de Patrício, mas os que temos foram tirados do seu livro autobiográfico “Confissão”. Nele consta que São Patrício nasceu na vila de seu pai, Calpurnius, na Grã-Bretanha por volta de 380. Apesar de ter nascido cristão, só na adolescência passou a professar a fé.

Aos dezesseis anos, foi raptado por piratas irlandeses e vendido como escravo. Levado para a Irlanda. Foi obrigado a executar trabalho braçal em meio a um povo rude e pagão. Por duas vezes Patrício tentou a fuga, até que na terceira vez conseguiu se libertar.

Quando recuperou a liberdade, seguiu para a Grã-Bretanha e depois para a Gália (atual França), onde frequentou mosteiros e se habilitou para a vida monástica e missionária.

A princípio, acompanhou São Germano do mosteiro de Auxerre, numa missão apostólica na Grã-Bretanha. Mas seu destino parecia mesmo ligado à Irlanda, mesmo porque sua alma piedosa desejava evangelizar aquela nação pagã, que o escravizara.

Quando faleceu o Bispo Paládio, responsável pela missão no país, o Papa Celestino I o convocou para dar seguimento à missão. Foi consagrado bispo e viajou para a “Ilha Verde”, no ano 432.

Em sua linguagem simples para evangelizar, costumava explicar que assim como as três folhinhas de um trevo fazem uma folha, da mesma forma Pai, Filho e Espírito Santo formam um só Deus verdadeiro.

Em Em quase três décadas, o bispo Patrício converteu praticamente todo o país. Seus opositores foram os magos druidas que acreditavam em deuses pagãos e os hereges pelagianos. Entretanto não contava com apoio político e muito menos usou de violência contra os pagãos. Com isso, não houve repressão também contra os cristãos. O próprio rei Leogário deu o exemplo maior, possibilitando a conversão de toda sua corte.

O trabalho do bispo foi tão eficiente que o catolicismo se enraizou na Irlanda, sendo construídos mosteiros e igrejas cristãs, formando um clero local e sagrando sacerdotes e Bispos. Fez-se possível nos anos seguintes florescer um grande número de Santos e evangelizadores missionários.

Ao final de sua vida, escreveu as “Confissões”, obra na qual relatou como se sentia e o que fazia na missão que Deus lhe tinha confiado.

Partiu para a Casa do Pai no dia 17 de março de 461, na cidade de Down, atualmente Downpatrick e foi sepultado em Saúl, região de Stragford Lough, onde edificou a sua primeira igreja.

É também muito reverenciado nos Estados Unidos devido ao grande número de imigrantes irlandeses.

Com informações ACI Digital e Pia Sociedade Filhas de São Paulo

Deixe um comentário