Hoje a Igreja recorda o Beato João Paulo I

Vatican Media

Um pontificado muito curto, o de João Paulo I, no século Albino Luciani, que durou apenas 33 dias, mas capaz de deixar uma marca profunda pelo seu magistério e pelo grande carinho dos fiéis, que o definiram como o Papa do sorriso e Sorriso de Deus.  

Foi o primeiro Papa a falar na primeira pessoa singular e a não usar o plural majestatis, levando também para o trono de Pedro a sua precedente atividade pastoral, realizada na proximidade às pessoas, na capacidade de escuta e com empatia.

O Papa João Paulo I era um homem de cultura sólida e profunda, mas nunca elitista, capaz de filtrá-la por meio de uma autêntica atitude de humildade. Humilitas era, de fato, o seu lema episcopal, inspirado no de São Carlos Borromeo, que depois também o quis no brasão papal, juntamente com as três estrelas, símbolo das três virtudes teologais: fé, esperança e caridade.

Albino nasceu em Canale d’Agordo, na região de Belluno, em 17 de outubro de 1912. Sua família era pobre, como ele mesmo recordava, o que lhe permitiu conhecer a fome e, portanto, mais tarde, compreender as necessidades das pessoas.

Aos 11 anos ingressou no seminário interdiocesano e cinco anos depois no Seminário Gregoriano de Belluno para os estudos secundários, filosóficos e teológicos. Em 1935 recebeu o diaconato, sendo ordenado sacerdote no mesmo ano. No outono de 1937, com apenas 25 anos, padre Albino foi chamado a Belluno para ser vice-reitor do Seminário Gregoriano e ao mesmo tempo professor do ensino médio e das aulas de teologia.

E a partir daqui percorre toda a hierarquia eclesiástica: bispo em 1958 em Vittorio Veneto, patriarca em Veneza em 1970 e 1973, pelas mãos de Paulo VI, cardeal.

Por fim, foi eleito Papa em 26 de agosto de 1978 com o nome de João Paulo I em homenagem aos seus dois últimos antecessores. Ele morreu cerca de um mês depois, com apenas 65 anos, em 28 de setembro de 1978.

Imediatamente após a morte do Papa Luciani, de muitas partes do mundo chegaram pedido de fiéis para a abertura da causa de canonização. O processo foi iniciado em 1990 e concluído em 13 de outubro de 2021, quando o Papa Francisco autorizou a Congregação para as Causas dos Santos a promulgar o decreto relativo a um milagre atribuído à sua intercessão.

No dia 4 de setembro de 2022, o Papa Francisco, na Praça de São Pedro, proclama que “o Venerável Servo de Deus João Paulo I, Papa, será doravante chamado Beato e será celebrado todos os anos nos locais e segundo as regras estabelecidas pelo direito em 26 de agosto”.

Fonte: Vatican News

Deixe um comentário