‘A Igreja seria muito mais pobre sem o testemunho de caridade, santidade e martírio dos consagrados’

‘A Igreja seria muito mais pobre sem o testemunho de caridade, santidade e martírio dos consagrados’, Jornal O São Paulo
Luciney Martins/O SÃO PAULO

No sábado, 20, o Cardeal Odilo Pedro Scherer presidiu missa na Catedral da Sé, com a participação de religiosos consagrados que vivem e atuam na Arquidiocese de São Paulo. 

Na homilia, o Arcebispo de São Paulo recordou que, embora o Dia Mundial da Vida Consagrada seja celebrado na Festa da Apresentação do Senhor, em 2 de fevereiro, no Brasil recorda-se de modo especial a vocação dos religiosos durante a Solenidade da Assunção de Nossa Senhora. 

“Que vocação tão grandiosa na Igreja é a vida religiosa consagrada”, afirmou o Cardeal Scherer, sublinhando que essa vocação é um verdadeiro sinal do Reino de Deus e testemunho vivo do Evangelho no meio da humanidade. 

Dom Odilo agradeceu a todos os padres religiosos e às religiosas consagradas que colaboram com a missão evangelizadora na Igreja em São Paulo, especialmente nas regiões mais periféricas da cidade. 

“Onde há doentes, pobres, necessitados, nas pastorais de fronteira e nas mais variadas frentes de missão, há sempre a presença dos religiosos consagrados… Os religiosos são homens e mulheres cheios do amor de Deus que se fazem vida no meio do povo. Onde chegam, renasce a alegria”, completou, definindo a vida religiosa como “um jardim variado de flores”, com os olhos e ouvidos de Deus no mundo. 

RENOVAR A FIDELIDADE 

O Arcebispo também dirigiu uma palavra de encorajamento aos consagrados, ressaltando que muitas congregações podem perder a esperança diante da diminuição do número de vocações. “Ao longo da história, a Igreja passou por várias situações difíceis, mas ela sempre superou as crises por uma renovada fidelidade ao Evangelho, a Deus e ao próprio carisma, que foi redescoberto e reassumido de forma nova, com coragem”, disse. 

“Os religiosos e religiosas desempenham grande parte da vida e da missão da Igreja na sua forma própria”, acrescentou Dom Odilo, enfatizando que  “a Igreja seria muito mais pobre sem o testemunho de caridade, santidade e martírio dos consagrados”. 

‘A Igreja seria muito mais pobre sem o testemunho de caridade, santidade e martírio dos consagrados’, Jornal O São Paulo

No fim da celebração, Irmã Helena Gesser, Religiosa do Instituto das Filhas de Nossa Senhora Auxiliadora e Presidente da Conferência dos Religiosos do Brasil – Regional São Paulo (CRB-SP), fez uma saudação aos consagrados. 

“Obrigada pelo que vocês são e pelo bem que fazem ao povo de Deus… na doação incansável, na promoção da vida e no anúncio do Evangelho de Jesus Cristo.” 

A Religiosa salientou que, em um tempo marcado pela dor e sofrimento, mais do que nunca, é urgente que a presença dos consagrados seja profética, corajosa e comprometida, “samaritana” para com o povo que sofre. 

“É tempo de reavivar a esperança no Deus da vida, que quer vida abundante para todos. O Espírito conduz nossa existência e nossa história. Confiemos, acolhendo as palavras de nosso querido Papa Francisco, que nos diz: ‘Abramos os olhos, por meio das crises, dos números que faltam, das forças que esmorecem, o Espírito convida-nos a renovar a nossa vida e as nossas comunidades”, completou Irmã Helena. 

Deixe um comentário