Arquidiocese de São Paulo recomenda a manutenção do uso das máscaras em igrejas

Em comunicado no começo da noite da quinta-feira, 17, a Arquidiocese de São Paulo informou, por meio de sua assessoria de comunicação, que continua a recomendar que “nos  ambientes  internos das igrejas e organizações eclesiais, seja mantido o uso das máscaras, sobretudo, para não colocar em risco a saúde das pessoas idosas, com comorbidades ou as que ainda não estão com a vacinação completa contra a COVID-19”.

Fiéis participam da missa da Quarta-feira de Cinzas na Catedral da Sé (foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO)

O posicionamento ocorre após o Governo do Estado de São Paulo anunciar na mesma data o fim da obrigatoriedade do uso da máscara em ambientes fechados, à exceção dos transportes públicos e unidades médico-hospitalares.

No comunicado, a Arquidiocese diz também que “é  importante  que  ainda se  mantenham os  cuidados preventivos, como a higienização das mãos, a limpeza e a ventilação dos ambientes”.

LEIA A ÍNTREGA DO COMUNICADO

guest
32 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Patrícia
Patrícia
1 ano atrás

Devemos continuar tomar todos os cuidados

Antonio Carlos
Antonio Carlos
1 ano atrás

Complicado. DISCORDO da posição.
Sou Católico vou às Missas. Me perdoem. NÃO USAREI MASCARA.
Torna-se um conflito muito estranho.
Igreja/religiao/Lei/ciencia.

SERGIO CORREA
SERGIO CORREA
1 ano atrás

Hipocrisia, ja me vacinei 3 x , fiz varios testes de covid (todos negativos) , as pessoas que se sentem confortaveis usando mascaras que usem, mas não venham obrigar goela abaixo quem não é obrigado a usar , Discordo 100%

FABIANA PAULA DA SILVA
FABIANA PAULA DA SILVA
1 ano atrás

A paz esteja com vocês.
Olha, eu vejo um retrocesso. As pessoas não viam a hora de tirar essas máscara e agirá com essa recomendação, ao invés de permanecer, vão deixar de participar das missas e atividades paroquiais. Neste final de semana, eu não usei máscara. Muitos fiéis também não. Confesso que estou desanimada com isso. As pessoas estão vacinadas… não há por que manter isso. Repensem, por favor. Não é justo.

Rodrigo Mendonça
Rodrigo Mendonça
1 ano atrás

Fui intimidado por uma senhora na Igreja a utilizar máscara, por causa de um comunicado da Arquidiocese de São Paulo. Achei estranho, mas por temor de Deus, e porque eu queria rezar em paz, coloquei a minha máscara. Decidi investigar o significado semântico da palavra e analisá-lo à luz do comunicado.

Recomendação significa um conselho, uma indicação. Não tem nada de obrigatório em um conselho ou indicação. É um tipo de comunicação não-violenta utilizada para persuadir alguém a cumprir algo, trazendo uma falsa sensação de liberdade enquanto induz a pessoa a fazer o que o emissor deseja.

É discutível. Mas advogo pela liberdade! Então, afirmo que RECOMENDAÇÃO NÃO É ORDEM. E da próxima vez que quiserem me obrigar a usar máscara, usem o português brasileiro e não o português comunista. Muito obrigado.

Anônimo
Anônimo
1 ano atrás

Fui a missa do novo rito romano neste último domingo e não usei máscara.
No final da missa o padre informou aos fiéis presentes a “recomendação”, mas não fui intimado a usar.

As máscaras, com sua efetividade debatível, não são um assunto moral ou espiritual.
Faço minha própria “recomendação” à Arquidiocese: que ordene que os sacerdotes em sua jurisdição esclareçam a não-obrigatoriedade das máscaras, e que recomende assuntos pertinentes à Fé na pregação, como a consagração da Rússia, os males do aborto, do comunismo, maior respeito e reverência ao Santo Sacrifício da Missa, música sacra, etc.

“Credidimus Caritati”
1 Ioannis 4,16