‘As verdades de Deus não envelhecem; talvez precisemos renovar o jeito de anunciá-las’

Disse Dom Odilo no programa “Diálogos de Fé” do ultimo domingo, 26

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, dialogou com católicos de todo o Brasil, no domingo, 26, no programa “Diálogos de Fé”, transmitido pelas mídias sociais da Arquidiocese de São Paulo e pela rádio 9 de Julho (AM 1.600 kHz), sempre das 12h30 às 13h.

O GRANDE TESOURO

Dom Odilo iniciou com uma reflexão sobre o Evangelho do 17º Domingo do Tempo Comum (Mt 13,44-52), no qual Jesus apresenta parábolas sobre o Reino dos Céus. As duas primeiras falam sobre o homem que encontrou um tesouro no campo e um comerciante que encontra uma pérola preciosa.

“A pérola preciosa e o tesouro escondido no campo simbolizam o Reino de Deus e as suas promessas. É o próprio Deus, reinando no meio de nós, que deseja o nosso bem. É Jesus Cristo, Nosso Senhor, que manifesta o amor e a misericórdia de Deus. Essas promessas são nosso grande tesouro, esta é a pérola preciosa que precisamos encontrar na vida.”

 TORNAR-SE UM PEIXE BOM

 O Cardeal Scherer também recordou a terceira parábola citada no Evangelho, que fala sobre a rede lançada ao mar pelos pescadores, que após a pesca separam os peixes bons e os ruins.

 “Para ser acolhido no Reino de Deus, o que é necessário? Tornar-se peixe bom. E o que é se tornar um peixe bom? É acolher e viver conforme o Evangelho. Acolher os mandamentos de Deus e procurar orientar a vida conforme os mandamentos, assim se torna um peixe bom e é escolhido para fazer parte do Reino de Deus.

AS VERDADES DE DEUS O

 Arcebispo de São Paulo concluiu a reflexão comentando a última parábola do Evangelho do dia, na qual Jesus diz que o Reino de Deus é semelhante a um mestre da lei que tira do seu tesouro coisas novas e velhas.

“As verdades de Deus não envelhecem; talvez precisamos renovar o jeito de anunciá-las. Nós temos a renovação da Igreja, a conversão missionária, a conversão pastoral, e isso é necessário para que sempre voltemos à velha e antiga verdade e ao tesouro que sempre descobrimos de novo e que está escondido no velho baú.”

 A COMUNHÃO ESPIRITUAL

 Após as reflexões, o Cardeal respondeu a perguntas dos internautas. Uma das questões foi a respeito da comunhão espiritual, se ela é válida quando se assiste a uma missa gravada. Dom Odilo explicou que, apesar de a comunhão espiritual não ser a mesma coisa que a comunhão sacramental, tem grande valor e eficácia. Em comum, ambas são acompanhadas do desejo e propósito de união com Nosso Senhor Jesus Cristo. O Cardeal exortou os fiéis que assistem à missa pela televisão ou internet que o façam quando de sua transmissão ao vivo.

TODOS SOMOS UNGIDOS?

A internauta Barbara Siqueira questionou: “Todos os católicos que são crismados podem ser chamados de ungidos?”

Dom Odilo esclareceu: “Todos nós recebemos a unção do Espírito Santo no Batismo e novamente na Crisma. Portanto, todos os cristãos que receberam legitimamente o Batismo são ungidos pelo Espírito Santo. Nem todos, porém, vivem de acordo com essa unção e deixam que ela frutifique, essa é a grande diferença”.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter