Câmara Municipal discute políticas de atenção a crianças em situação de rua

Audiência pública acontecerá na quarta-feira, 22, às 12h30

Câmara Municipal discute políticas de atenção a crianças em situação de rua, Jornal O São Paulo

Uma audiência pública presencial sobre o Projeto de Lei nº 253/21, que foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), será realizada na Câmara Municipal de São Paulo na quarta-feira, 22, às 12h30.

O PL, de autoria da vereadora Juliana Cardoso, institui a Política Municipal de Atenção Integral à crianças e adolescentes em situação de rua e na rua. 

Foram convidados para a audiência o Secretário Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Carlos Bezerra Júnior; e o Secretário da Casa Civil, Fabrício Cobra. Também estarão presentes representantes do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), do Fórum Municipal da Assistência Social (FAS), do Ministério Público, Defensoria Pública e OAB-SP. 

O PL ressalta a necessidade de reorganizar e criar serviços especializados de Abordagem Social, Centros de Referência e Abrigo, além de trabalhos sociais com as famílias. 

A iniciativa da criação do Projeto de Lei partiu da Pastoral do Menor da Arquidiocese de São Paulo, contando com o apoio de diversas entidades da sociedade civil. 

Fonte: Pastoral do Menor

1 comentário em “Câmara Municipal discute políticas de atenção a crianças em situação de rua”

  1. A geração de emprego pode ajudar e muito as famílias de rua, a sugestão seria usinas de reciclagem de lixo, para isso a União dos governos, municipal, estadual e federal, mais apoios de entidades internacionais, pois uma construção de usinas é muito cara. Outra forma de tirar a criança das ruas
    Seria fazer valer a lei d LDB( LEI DE DIRETRIZES DE BASE), uma boa escola
    de tempo integral com 4 refeições, para tirar as crianças das ruas, onde os diplomas já sabemos quais são: pedofilia, crime organizado e tráfico
    De drogas. Só uma boa vontade política e o milagre da multiplicação acontece.
    Fiquem com Deus. Eu sou Marco da Pastoral do menor de Praia Grande.

    Responder

Deixe um comentário