Comunidade Eucarística Voz dos Pobres completa 25 anos de atuação pelos excluídos

A Pastoral da Comunicação da Região Lapa conversou com a Irmã Maria Madalena, que tem 11 anos de vida consagrada

Benigno Naveira

Fundada em 1996 por Claudio Luiz Vaz, no bairro do Butantã, a Comunidade Eucarística Voz dos Pobres completou 25 anos de atuação na quinta-feira, 22.

Em visita à Casa São José Moscati (Rua Dr. Álvaro Osório de Almeida, 315, Jardim Bonfiglioli), na sexta-feira, 23, a Pastoral da Comunicação da Região Lapa conversou com a Irmã Maria Madalena, que tem 11 anos de vida consagrada.

“Nossa comunidade é uma missão da Igreja e realiza adoração e o cuidado com as pessoas em situação de rua, atua todos os dias em favor dos pobres, os mais excluídos pela sociedade. Nosso lema é doar o amor, o mesmo amor que transborda do altar todos os dias na Santa Missa. Esse amor não julga, simplesmente ama. Vamos para as calçadas das cidades, andamos, vivemos e sofremos com eles”, detalhou.

Irmã Maria Madalena ressaltou, ainda, que a missão possui cinco casas de acolhimento – quatro masculinas e uma feminina –, para pessoas em situação de rua que não conseguem andar, usam fraldas e até para a higiene pessoal precisam de ajuda.

A Casa São José Moscati é coordenada pela Irmã Maria, e lá residem 14 acolhidos; há também a Casa João Paulo II, no bairro da Mooca, em que residem dez pessoas; a Casa Santa Clara de Assis, na Diocese de Campo Limpo, na qual vivem quatro irmãs acolhidas; a Casa Nossa Senhora La Saleti, na Diocese de Osasco, residência de oito irmãos acolhidos; e a Casa Dom Oscar Romero, em Valência, na Espanha, morada de 45 irmãos acolhidos.

A Irmã destacou, ainda, que o carisma da Missão Eucarística Voz dos Pobres é viver a santa missa, adorar o Santíssimo Sacramento e zelar por ele; cuidar dos pobres de rua e amá-los; viver e anunciar o Evangelho de Jesus aos ricos e aos pobres, anunciando as verdades e denunciando as maldades. “Este trabalho é feito todos os dias em várias regiões, em busca dos pobres, enxergando nas calçadas a cruz do Nosso Senhor Jesus Cristo sob o véu do sofrimento e da pobreza.”

O acompanhamento às pessoas em situação de rua é realizado por dez irmãs celibatárias e 11 irmãos celibatários, além do trabalho missionário de mais de 300 leigos no Brasil.

(Por Benigno Naveira – Colaborador de comunicação na Região)

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter